Resenha: Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Harry Potter e o Enigma do PríncipeAinda no calor de ter deixado, há poucas horas, a sessão do filme, digo: Harry Potter chega ao sexto ano de Hogwarts melhor do que nunca.

Como bom fã da série que sou, fico imensamente feliz  em ver o caminho que ela seguiu no cinema. Apesar de, assim como em todos os outros filmes, a história de O Enigma do Príncipe “sofrer” com a transposição para as telas, todos os sacrifícios feitos no material original são absolutamente pertinentes e não fazem falta no espetáculo, de som e imagem, proporcionado pelo longa (salvo uma única passagem, que citarei adiante).

Se David Yates já provou ser talentoso ao deixar o filme de A Ordem da Fênix superior ao – longo e chato – livro, aqui, o diretor não apenas reforça seu dom em comandar atores, como também nos brinda com um filme maduro e consistente, graças ao seu domínio em usufruir, da melhor forma, dos recursos que só o cinema pode oferecer.

A produção é tão bem realizada que parece fruto de magia: a belíssima fotografia (dirigida por Bruno Delbonnel, que também fotografou Amélie Poulain) deixa o clima mais sombrio sem abrir mão de uma interessante paleta de cores (o branco ofuscante da neve no retorno de Hogsmead, o reluzente amarelo da paisagem por onde corta o Expresso de Hogwarts, o verde-esfumaçado das lembranças da Penseira etc); bem como a trilha sonora que pontua perfeitamente cada cena, de maneira bastante expressiva e sensível.

E o que dizer dos efeitos especiais, que chegam ao ápice da série neste filme?! O Quadribol nunca esteve tão real e eletrizante, o turbilhão de fumaça em que se transformam os Comensais da Morte é incrível e a cena da Caverna… uau! Mesmo assim, não vá esperando grandes sequências de ação. Elas existem, mas são poucas e rápidas (sem contar a Caverna, o destaque fica sendo o ataque à Toca, momento em que o diretor abusou dos cortes rápidos e de uma câmera inquieta para criar um ótimo clima de tensão).

Agora, se falta ação, sobra falação e quem leu o livro, sabe: O Enigma do Príncipe prepara o terreno para o episódio final da saga e, por isso, é repleto de explicações e teorias a respeito do Lord Voldemort. Tudo, claro, permeado por um delicioso clima de romance, que nos faz querer voltar à adolescência (fator muito mais forte no filme do que no livro).

E do romance, chego às atuações, já que todo o elenco – dos protagonistas aos coadjuvantes – entrega performances notáveis. Eu já esperava que Jim Broadbent faria um brilhante Horácio Slughorn mas, ainda assim, acabei surpreendido. Outro personagem que me pegou de surpresa foi Lilá Brown, que no livro é insuportável e aqui, graças ao bom trabalho da jovem atriz Jessie Cave, ficou inocentemente engraçada. Helena Bonham Carter e Alan Rickman estão ótimos como sempre, como Belatriz e Snape, e o trio protagonista, que tem evoluído a cada filme, volta mais preparado e maduro, com atuações dignas de reconhecimento. A mais fraquinha, em minha opinião, é Bonnie Wright, que faz a Gina. Ah, e Malfoy está excelente também.

Bom, não vou entrar em detalhes sobre o que da história entrou e o que ficou de fora no filme.  Como em toda adaptação cinematográfica, cortes são necessários. Mas digo que saí bastante satisfeito com a obra como um todo, sentindo falta, apenas, de uma importante explicação que Dumbledore deveria dar a Harry (não vou falar pra não estragar a surpresa de quem não leu).

Enfim, Harry Potter e o Enigma do Príncipe torna-se, para mim, o melhor filme da série até aqui. Um trabalho impecável de direção, que deixou esse universo tão fantasioso em algo mais real e consistente. Bato palmas também ao roteiro, que tirou, com inteligência, todo o excesso de gordura saturada do texto de J.K. Rowling, deixando somente o necessário, o que torna a experiência cinematográfica da obra não só possível, como muito, muito prazerosa.

Nota. 9,0

p.s: peço desculpas se o texto saiu meio confuso e com ideias atropeladas, mas quis registrar e passar para vocês o entusiasmo do momento. =D

51 comentários

    1. Valeu Leo.
      Estava morrendo de sono quando a fiz. Não ficou do jeito que eu gostaria, mas vou preparar um texto melhor quando conferir a versão em IMAX.

      E tome vergonha nessa cara e vá conferir aos outros filmes e este daqui.

      ;-)

  1. Estive junto com você na pré-estréia e minhas opiniões não dierem muito das tuas.
    Fotografia, direção de Arte, trilha sonora e efeitos especiais impecáveis.

    No geral senti falta apenas da mesma parte que você, mas não é extamente uma “explicação”, mas sim uma “suposição”, mas chega pra não dar uma de spoiler.

    Ainda acho o trio de protagonistas um pouco fracos quando são exigidos em cenas que pedem mais emoção. Já Jim Broadbent foi fantástico e muito convicente como Slughorn e ainda me divirto muito com a capacidade de Rupert Grint em fazer papel de idiota nas cagadas de Rony.

    Fiquei satisfeito coma adaptação, e espero pra ver como serão tratados nos 2 últimos filmes da sequência os buracos que ficaram na história desse.

    1. Boa Rafa. Concordo contigo.

      Mas como falei, o diretor e outros envolvidos são inteligentes. Eles são deixaram coisas de fora por deixar. Aposto que eles estão guardando muitas surpresas para as partes finais, inclusive mais batalhas e cenas de ação.

      E reforço, como espetáculo cinematográfico, “O Enigma do Príncipe” é impecável.

      Valeu pelo comentário man!
      Abraço.

  2. concordo com o que você falou em relação a trilha,fotografia,efeitos visuais.O clima juvnil de romance e qudribol sempre foram e sempre seraõ um ponto a favor para os filmes da serie.Mas tirando algumas passagens do livro que são bem enfadonhas(Fleur e o noivado com o mais velho dos Weasleys),simplesmente limaram o que havia de melhor no livro,além de omitirem uma informação preciosaa sobre quais seriam as possíveis horcrux,tiraram o duelo na torre de astronomia logo após a morte de Dumblodore,imperdoavél.Eu gostei do filme,esperava assistir ao melhor episodio da serié, mas sinceramente agora eu entendo,como um livro pode ser imensamente melhor do que sua adaptação.simplesmente ai esta o ponto fraco do filme na sua adaptação, um livro tão bom merecia uma traposiçaõ melhor para o cinema.

    1. Olá J.C!

      Você tem absoluta razão: um livro sempre será melhor do que sua adaptação cinematográfica.
      Concordo também que não deveriam ter tirado a suposição de Dumbledore quanto às possíveis Horcruxes.

      Mas J.C, vamos tentar analisar as coisas:
      1°- No cinema, NADA é por acaso;
      2°-Sinceramente, eu encaro esse filme como o primeiro de uma trilogia (as duas partes finais);
      3°-Assim, é cedo para avaliar o que de fato ficou de fora (pois acredito que o diretor deixou muita coisa para o final. Não acha?);
      4°-Esse tópico você pode não curtir, mas eu gostei MUITO que tiraram a batalha em Hogwarts e achei a morte do Dumbledore melhor no filme do que no livro. Explico: lembra que no filme “Ordem da Fênix” tivemos uma batalha insana, cabulosa, espetacular, entre Dumbledore e Voldemort no Ministério? E, como você deve saber, no último livro acontece a grande e decisiva batalha. Sendo assim, penso com meus botões, que o diretor/roteirista/produtores pensaram: pô, não faz sentido colocarmos uma puta batalha nesse filme sendo que fizemos uma fudida no anterior e teremos a maior de todas nos próximos. Na boa, eu concordo com eles. Ficaria repetitivo e tiraria o gostinho do que está por vir no capítulo final. Se ela acontecesse no sexto filme, ao assistirmos o sétimo (e oitavo) pensaríamos: putz, já vimos isso antes – e duas vezes!
      Sobre a morte de Dumbledore, no livro, você deve lembrar que Harry fica paralisado embaixo da capa de invisibilidade, certo? Mas perceba como no filme, ele também fica paralisado, não por um feitiço, mas por ordens do Dumbledore. Olha só como essa atitude é muito mais poderosa; como ela expõe o caráter e personalidade do verdadeiro herói, do cara que é “o Eleito”. Ele está ali, vendo tudo, mas sua razão e disciplina não o deixam fazer nada.
      Cara, eu achei isso brilhante. Se somarmos a ausência da batalha + o fato do Harry não ter feito nada consciente = temos uma cena sutil que ganha por sua simplicidade e prepara terreno para um grande espetáculo, que será os filmes finais. Não acha?

      Caramba, falei muito. rs
      Mas as discussões são saudáveis. Curti seu ponto de vista. E aproveitei para falar um pouco mais do meu. hehe
      E acho que só chegaremos a uma conclusão quando o último filme chegar aos cinemas, lá em 2011. =p

      Abração e comente sempre!

  3. Olá!! Como sempre fotografia, efeitos especiais, o mundo da fantasia do harry potter .. ficou excelente .. agora .. acredito que os fãs não ligariam se os 2 ultimos livros fossem repartidos em 2 filmes … pq como ja foi falado aqui .. muito deveria ser explicado no sexto livro .. e passou batido nessa adaptação ..
    não mostra o gui wesley sendo mordido pelo greyback .. não mostra que o harry herdou a mansao dos black .. com O Monstro e tal .. sobre o livro do principe mestiço .. era o harry que escondia e não a gina .. ta certo que poderiam ser rapidamente explicadas ou cortadas .. o funeral de dumbledore com o caixão branco e tal seria uma cena comovente .. mas quem leu o livro ficava ansioso pela batalha em hogwarts ( era de se esperar isso até mesmo pelo final do filme da ordem da fenix quando houve a morte de Sirius Black e a batalha entre Dumbledore e Voldemort, quanta ação .. magicas e tal ) .. era o climax do livro .. discordo da sua opinião sobre o momento da morte de dumbledore .. acabou sendo injusta a imagem que ficou para o Harry .. pareceu um covarde .. não foi certo .. o certo seria ele estar usando a capa de invisibilidade e o professor ter feito o feitiço para que ele ficasse imovel .. assim Harry não ficaria como covarde e Dumbledore sua grandiosidade final que foi salvar a vida de Harry!! Se não dava para colocar isso tudo em um filme que dividisse esse livro também em 2 partes como farão com o ultimo livro .. Acho que nenhum fã ligaria se o filme tivesse 10 minutos a mais para incluir essas partes cortadas .. podem os diretores dizer que eles tinham um orçamento para o filme que não poderiam gastar mais para fazer tais cenas .. isso seria impossivel pq harry potter dará sempre uma audiencia fantástica .. enfim ficou um gosto de revolta com os cortes .. mas .. tirando isso .. espero que vc esteja certo e estejam guardando algo mais para as proximas adaptações do ultimo livro!! Desculpem um pouco da minha revolta hehehehe!! Gde abraço a todos!!

    1. Acalme-se Marcelo! Não fique revoltado.. hehehe

      Legal você relembrar as partes que ficaram de fora.
      Como falei na resenha, não senti falta de nenhuma delas. Inclusive, achei bom que tiraram.. seria um saco ver a Fleur ou o Monstro novamente, fala ai?

      Gostei também do seu ponto de vista, quanto à morte de Dumbledore. Mas eu continuo achando melhor que fizeram dessa forma. E não vejo o Harry como covarde. O vejo como um cara que amadureceu, se disciplinou e respeita aquele que o ordenou a tomar tal atitude. Na realidade, não existe melhor ou pior versão da cena. Para mim, ficou mais interessante. Só isso. ;-)

      Agora, vamos torcer juntos então para que eu esteja certo que o diretor está guardando excelentes surpresas para o final.
      Só assim saberemos se o que ficou de fora no sexto fará falta ou não.

      E comente sempre, beleza!?
      Abraço!

  4. Pra começar… “Você tem absoluta razão: um livro sempre será melhor do que sua adaptação cinematográfica”. Já leu Senhor dos anéis? Bom, se não, não perca seu tempo… A adaptação feita por Peter Jackson e companhia, deu ao livro a vivência e emoção e faltava.

    Bom, sobre a resenha… Eu tenho 20 anos, leio Harry potter desde que eu tinha 11 anos de idade, e até hoje nenhum filme me agradou, exceto a Ordem da fênix, que apesar de um elenco fraco, o diretor soube explorar os pontos fortes do livro, deixando-o mais atrativo. E se vocês dizem que Enigma do Príncipe filme foi um acréscimo para a indústria do cinema, eu digo que vocês não entendem absolutamente nada de cinema. Eu como um velho fã, sempre tive o costume de ir as pré-estréias, com toda aquela expectativa, porém a cada ano, uma decepção. Mas as esperanças reacenderam com o Cálice de fogo e a Ordem da fênix, mostrando que, no cinema, Harry Potter ainda podia virar um marco. Contudo, pelo fato de ser um best-seller, com vendas estupidamente avassaladoras, a Warner sabia que, de jeito ou de outro, sendo boa ou uma péssima produção, os fãs iriam assistir, e eles iriam lucrar de qualquer modo. Logo, por que não deixar o filme nas costas de diretores que não são Spiebergs, nem Jacksons, nem Eastwoods, sabendo que o filme vai ser assistido por milhões de fãs que só querem rever e entrar um pouco no mundo fictício de Harry Potter? E foi o que eles fizeram…! Enfim… o filme até certo ponto é um filme bom! Gostei da representação do quadribol, a loja dos Weasley no beco diagonal, Slughorn era como eu imaginava mas, por que focar tanto no “romance” que estava no livro????? A história foi praticamente esquecida, e o “romance” virou a história!!!! Coisa surreal. E pra quem não leu o livro, estava se perguntando se era o mesmo filme… Outro ponto crucial, aonde foram parar as batalhas??? O filme anterior, foi salvo pela batalha final, com cenas muito interessantes, restava só aperfeiçoar nesse filme, o que não foi feito. A “luta” que teve na Toca, foi bizarra. Corte de cena. Aparece a Toca. Aparecem os comensais. Comensais correm pra floresta, Harry e Gina viram imunes ao fogo, e correm, parecendo atores amadores para a floresta, pra que? Pra nada… pra terminar a cena, em nada! Bom, agora a parte “boa” do filme, o suspense da caverna! Na hora que Dumb apareceu com Harry naquela pedra, e chegando a entrada da caverna, eu pensei “pronto, o filme vai ser salvo agora”. Me ajeitei na cadeira, e tudo começou como eu sempre imaginei. Tava indo tudo muito bem, Dumb faz o circulo de fogo nos mortos…. e PUM… aparatam para TORRE DE ASTRONOMIA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! E olhem só, o Dumbledore está saudável!!!!!!!!! VIVA! Pensei até que ele ia viver…! Voltando… eu já sabia por rumores, que a luta no castelo não ia acontecer, mas como fã esperançoso, esperei pra que tudo fosse uma mentira.. e não era! O sumidouro é aberto, os comensais saem, e junto com Malfoy eles aparecem EXATAMENTE na TORRE DE ASTRONOMIA!!!! Incrivellllllllll essa cena!! Snape aparece logo depois, no calcanhar de Harry, e aonde é que Harry estava?????? Ah, foi o próprio roteirista que escreveu essa parte, pondo Harry, digamos, “embaxo” do chão do topo da torre? oO… É, acho que é por ai… Snape passa por Harry, sobe e FALA “Avada Kedavra”… O corpo de Dumb cai da torre ridiculamente. Depois disso, mais bizarrice.. Harry sai correndo atrás de Snape, e é dado o primeiro sinal de algum duelo entre bruxos, mas não acontece, e Snape fala o nome do filme pro pessoal que não leu o livro, e pros fãs. assim como eu, estavam estupefatos com o nome e deplorável filme, “eu sou o príncipe mestiço MuaMuaMua”. Enterro do Dumb, cortado. Próxima cena, Rony, Hermione e Harry conversando sobe o futuro e………….. Hermione muda bruscamente de assunto e fala sobre o “romance” de Harry e Gina.. FIM!

    Bom, fico assustado com alguns comentários de “fãs” que dizem ter gostado da adaptação do livro. Pra mim são fãs do elenco, apaixonados pelos atores, tudo menos pelo livro que é muito mais do que isso que chamaram de filme. Aconselho a todos a lerem novamente o livro, pra retomar a real imagem que o livro traz, e esquecer que esse filme um dia passou…

    1. Caray Iuri! Que comentário grande. Taí, curti. rs

      Muito bom seu ponto de vista. São comentários como o seu (e da galera aí de cima) que tornam o cinema e este humilde blog muito mais interessantes.

      Puta merda, você lembrou muito bem sobre “O Senhor dos Anéis”. Eu li os livros, sim. E são MUITO CHATOS. No entanto, apesar de serem melhores, os filmes deixam muita coisa de fora. E, por isso, há fãs por aí que não gostam das adaptações e preferem os livros (não é o meu caso). Percebe como é relativo?

      Em maio eu fiz um curso de crítica de cinema. E o cara que deu o curso sempre repetia algo muito pertinente: um filme que você vê é todos os filmes que você já viu + sua experiência de vida. Entende?

      Seguinte, quando você assisti a um filme, todo seu repertório cultural é acionado e, por isso, uma mesma obra consegue ganhar inúmeros pontos de vista. Eu gostei MUITO de “O Enigma do Príncipe” e deixei minhas razões muito claras na resenha, todas baseadas em meu repertório e em meu pequeno entendimento sobre cinema (sim, pequeno; apesar de já ter visto muito filme nessa vida, estou longe de ser um especialista).

      Assim, acho excelente que discorde de mim e aponte seus motivos; afinal temos experiências de vida diferentes. Sou um grande fã da série e o sexto livro foi o único que consegui ler duas vezes. Mesmo assim, considero o filme um grande espetáculo cinematográfico que, por duas horas e meia, me divertiu muito. Sim, é o meu favorito da série (seguido de pertinho por “O Prisioneiro de Azkaban”).

      Mas convenhamos: filme é filme e livro é livro. Na realidade não existe comparação. Quer relaxar a cabeça e se distrair um bucado? Vá ver os filmes. Quer saber tudo sobre a história e acompanhar cada movimento dos personagens? Pegue o livro e aproveite!

      Entende? Não adianta discutirmos o que é melhor ou pior. São diferentes e ponto. E que ótimo eles coexistem para deixar a experiência da obra muito mais rica.

      Não acha?

      Grande abraço Iuri e comente sempre!

      ;-)

  5. O livro é SEMPRE melhor que o filme. (Só conheço duas exceções: V de Vingança, mas até aí, é quadrinhos, é diferente do livro cheio de texto e Laranja Mecânica, que sem o capítulo final ficou mais ‘adequado’).

    Se não fosse assim, todo mundo ia preferir gastar 2 horas no cinema do que 10 lendo o livro.
    E aí os escritores virariam roteirista.

    Quanto ao HP, ainda não vi esse último. E tb sou da geração “cresci com o Harry”… de todos os filmes até aqui, o primeiro tinha mais a essência que eu via no livro, você entrava melhor no mundo Hogwarts (era outro diretor. Mas o livro era mais simples de se adaptar também, a trama muitíssimo menos complexa.
    Acho que a diferença entre ver uma história adaptada na tela, é porque quem adaptou também foi um leitor, e nem tudo que era importante para você na história foi considerado relevante por ele. Claro que existem as adaptações que acontecem pela dificuldade técnica de fazer as cenas, mas não essas as que doem para os fãs, essas acabam sendo compreensíveis.

    Em relação ao Senhor dos Anéis, é quase um faca no meu peito ouvir esses comentários sobre o “livro ser MUITO CHATO” e o livro “dar vivência e emoção que faltava”. Senhor dos Anéis é uma obra tão completa, que eu sabia que qualquer tentativa de passar para o cinema seria bem menor do que é o livro.

    Peter Jackson é um puta diretor foda, e acho que fez melhor do que ninguém poderia ter feito. Mas como o Sanchez (holyjunk) falou, é o caso de obra que “coexiste” para complementar a experiência. Jamais para substituir.

    As escolhas do Jackson foram quase todas acertadas. E ele foi genial em colocar a história da Arwen e Aragorn inserida no contexto do filme, que o Tolkien havia deixado como apêndice.

    Mas ele errou feio quando tratou do Condado. Tanto no começo do filme, quando no final. Isso era importante para entender melhor a cabeça do Frodo e de Sam, Merry e Pipim, e fundamental para entender porque Hobbits sairam de suas terras para ir até Mordor combater Sauron.

    Só existia um motivo para eles abandonarem o Condado: o amor que sentiam por aquele lugar. Só que no final da saga, mesmo depois que completam a missão, o retorno pro Condado não é como esperavam – o mal havia chegado lá também.
    Enfim, não mostrar isso nos personagens, fez as motivações dos “heróis” ficarem vazias.

    Sem contar todo o universo de genealogia, mapa, vegetação, línguas e histórias que o Tolkien criou que jamais poderiam ser transmitidos para tela. Enfim, o Peter Jackson deu a superficialidade que a história precisava para ser entedida pelas “massas” – você tem uma história bacana, mas não tem o que se sente com o livro. Não significa que ele deu emoção – isso, nem de longe. Se essa história não fosse emocionante o livro não teria nem ao menos “merecido” tamanha superprodução cinematográfica.

    Só quem leu o livro para entender a catarse real da história. Pra se afundar na depressão de passar os pântanos mortos, em uma missão suicida para destruir Sauron, para deixar o mundo melhor para os outros, um mundo que você já não poderá aproveitar. Só lendo o livro para entender todo mundo que o Tolkien criou, tão distante do nosso, tem valores que não consiguimos entender.

    Se não entendermos o universo, a história fica tola. Se não sentimos a importância da lealdade entre os povos da Terra Média, como poderíamos compreender a dedicação do Samwise, um simples jardineiro, que sacrifica sua vida para acompanhar seu ‘mestre’ e amigo?

    Bom, é quase um testamento esse comentário. Mas é que todos os comentários que eu vejo de crítica ao livro, são extremamente vazios, e eu tenho a sensação que quem diz isso não leu o livro realmente. Ou leu em um época que não vivenciou a história.

    Recomendo a releitura, incluindo os apêndices, e se possível de dedicação integral. Aproveite umas férias, um feriado prolongado e dedique-se ao livro para vivenciar o mundo paralelo mais completo que já foi criado na litetura mundial.

    Beijos =*

    1. Caramba Isa, incrível sua contribuição. Obrigado!

      Viu, Iuri, temos uma fã de “O Senhor dos Anéis” que entende tudo sobre o livro, gosta dos filmes, mas vê defeitos nas adaptações. E a paixão com que ela fala, dá mesmo vontade de reler os livros. Ou não, já que são um porre (desculpe-me Isa, mais uma vez.. rs).

      To vendo que essa discussão sobre HP6 vai looonge.

      Depois de ver o filme Isa, volte para comentar. ;-)

      Beijos!

  6. eu tbm sou uma fã de HP e sempre assisto os filmes no cinema e sei q por mais q o filme fosse ruimzinho (o q nao é o caso) eu sempre iria gostar e seria fã do mesmo jeito …. eu acho importante dar um ”ar” de romance no filme sim, já q agora os personagens estao mais maduros e adolescentes, e o publico alvo do filme (os fãs mesmo) já estao crescidinhos e é importante demonstrar isto no filme com o romance! e tbm ajuda a deixar a historia mais real, doce e engraçada. tbm gosto muito de cenas engraçadas e divertidas principalmente as vividas pelo weasley (rony), mas tbm acho q este romance podia ser mais emocionante e estar presente tbm em cenas de açao ou suspense e tbm cenas normais do dia a dia (como tbm aconteceu) sim concordo com o romance mas senti um pouquinho de falta de incriveis cenas de ação e aventura já q as q estavam presentes no filme acabavam rapido e eram poucas , acho muitissimo importante cenas de açao e muitos efeitos especiais no filme e tbm cenas q mostrem o amadurecimento dos personagens e dos atores (nao só com o romance) acho q o filme podia ter sido mais explicativo e emocionante do q foi mais eu gostei tbm, mas sentí falta de duas coisinhas q p mim sao muito importantes , o maior e mais tenebroso bruxo das trevas de todos os tempos volta e reune os seus ”companheiros”e seguidores e tenta com todo custo entrar em hogwarts e acabar com o mundo bruxo e o mundo trouxa e ninguem parece estar com medo ou meio desconfiado era para todos estarem sombrios e com medo e desconfiados de tudo e todos e meio q nenhum ator demonstra bém isso é como se vc sabe quem nem tivesse regressado , pânico deveria ser a palavra certa do momento e é a mais oculta no filme, e acho q já era p ele ter feito coisas bem mais terriveis pelo seu historico , nao acham???pelomenos no filme. bom agora ele deve agir com maior ”maudade” já q q morreu o diretor do colégio dub…. (eu espero).e a segunda é q o tempo inteirinho eles dizem q Harry é um otimo e poderoso bruxo mas ele só mostra suas caracteristicas como coragem e bom coraçao mas abilidades mesmo NADA!!!ele QUASE nunca surpreende ninguem com suas abilidades no filme .até a hermione surpreende mais q ele ( tbm quero ver mais cenas mostrando os ”talentos” dela e dele.)e a gina sinceramente uma bruxinha tao boa ta tao totalmente sem graça no filme…………espero q o romance do proximo seja mais emocionante e convincente tenha mais cenas de suspense e açao com um gostinho de aventura e romance e com mais demonstraçoes das habilidades de hermione, harry e até do weasley (coitado)e com mais realidade no sentimento de pânico dos bruxos e ”ruimdade” dos bruxos das trevas e com mais esclarecimentos de nossas duvidas e um final triunfante para o Harry (com um pouquinho de terror envolveldo o lord das trevas).há e só uma coisinha, q retardado o snape falando p HP q ele era o principe mestiço isso nao tinha nenhum enigma e nem trazia tanto impacto p ser tao importante ….. se bem q no livro éra…… tchau e até mais ……e sim eu gostei do filme mas q podia ser melhor podia…..

    1. Concordo contigo Drikkah. Também acho que o “ar” de romance no filme foi muito bem-vindo e realizado.

      Além de gerar cenas bem engraçadas, criou uma atmosfera de nostalgia dos tempos de adolescência para os que já passaram dessa fase.

      Também é certo que o clima de pânico não foi tão acentuado como deveria. Principalmente no mundo trouxa. Não sabemos, enfim, o que o pessoal achou daquele ataque à ponte. Mas beleza, nada que prejudicasse a história, não é mesmo?

      Valeu pelo comentário e escreva sempre!
      ;-)

  7. Eu também sou um grande fã do filme. Não fiquei decepcionado com a exclusão de algumas cenas do filme, mas sim com aqueles que se dizem fãs, ficarem criticando incessantemente essa adaptação, a todo lançamento é a mesma coisa. Algumas pessoas esperam ver muita cena de ação e se esquecem do lado emocional dos personagens que, nesse filme, foram muito bem interpretados. Resumindo, adorei o filme, para mim também é o melhor!!
    Outra coisa holyjunk, seus comentários são muito maduros e esclarecedores, fiquei realmente chateado com vários fãs com as péssimas críticas primitivas e, seus comentários me deixam com mais vontade de defender o filme. Gostei muito de ti, me adicione no msn para conversarmos melhor:
    johnatanbruno@hotmail.com

    Abraços!!!

    1. Johnatan, falo pra ti o mesmo que falei pro Iuri: um filme sempre terá muitos pontos de vista, ainda mais uma série tão adorada como HP. E nunca todo mundo ficará satisfeito: se o filme é ótimo, tem gente que reclama; se o filme é ruim, tem gente que adora. Enfim… essa discussão vai looonge.

      E obrigado pelos elogios Johnatan.
      Mas cara, não leve muito a sério as coisas que falo, viu. Sou meio maluco. hehehe
      Ah, só pra esclarecer… meu nome não é holyjunk, ok?! Prazer, sou Bruno. =D
      Vou te adicionar no msn, sim.

      Abraço e comente sempre, blza!

  8. Quando o excelente O Senhor dos Anéis-O Retorno do Rei, conquistou o Oscar de Melhor Filme em 2004, refleti em meu íntimo crítico que valia realmente a pena adaptar livros para o cinema. A maravilhosa série de J.R.R.Tolkien foi retratada nas telas não de forma fiel e arraigada, mas sim de modo a abrir espaço ao desenvolvimento lógico da imaginação a quem assiste a um filme e desconhece o enredo da história. Características fundamentais que até hoje não foram vislumbradas em As crônicas de Nárnia-uma série de sete livro,como Harry Potter.Bom, citei esses dois quadros literários de fantasia para expressar meu ponto de vista sobre Harry Potter e o Enigma do Príncipe. Quando a genial escritora J.K.Rowling vendeu os direitos de adapatação para a Warner Bros, pensei seriamente que o caminho a ser percorrido dali em diante seria de riscos. E foi. Os longas deixam fãs insatisfeitos,cria uma espécie de obsessão em crianças,produz uma franquia milionária. Onde estão os conceitos literários nisso tudo? Camuflados. Nos efeitos especiais magnificamente produzidos, nos cenários verdadeiramente estruturados, na trilha sonora brilhantemente sonificada, na personificação de personagens como Belatriz Lestrange,Severo Snape,Draco Malfoy, Rúbeo Hagrid, Professora Minerva,Fred e Jorge,Rony(sempre foi o melhor do trio, mas sempre é deixado de lado-vide cena na Torre de Astronomia.
    É tarefa complexa realizar uma adaptação fiel. É tarefa complexa escrever uma série de livros eterna e universal que conquiste tantos admiradores. Qual é o segredo? Harry Potter e o Enigma do Príncipe demonstra amadurecimento, falhas, acertos, deslizes imperdoáveis, um bom balanceamento de sombriedade e comicidade, mas de toda e qualquer forma, livros são decididamente bancos de melhores conceitos. Um filme é uma arte. Um livro é um banco de interpretações e influências. Uma adaptação sempre deixará espaço aos nerds de lupa,admiradores insatisfeitos e leitores exigentes uma lacuna que jamais poderá ser preenchida. Enfim, que chovam críticas! Há grande propabilidade de um raio cair duas vezes no mesmo lugar

    1. Uau!

      Depois desse comentário da Bruna, acho que não preciso falar mais nada.

      Mandou MUITO bem Bruna. Parabéns e obrigado pela incrível contribuição à discussão.

      Participe sempre, ok?!

      Valeu!

  9. Eu considerei interessante seu ponto de vista. Queria ressaltar que a história de livros-cinema sempre foi e sempre será contraditória e que acho de tamanha crucialidade discutirmos nosso pontos de vista civilizadamente.
    Portanto:
    O que acharam da quase total não-inclusão do personagem Rony na última cena?

    1. Bruna, sobre o Rony, acho que é um reflexo do que você falou: o personagem sempre foi deixado de lado, tratado como alívio cômico.

      Hermione é a sensata, é com ela que estão os mais preciosos conselhos; é à ela que Harry deve dar ouvidos.

      Né?!

  10. Discordo. Hermione é a personificação de diversos valores humanos e tal, mas Rony exerce o papel de companheiro que exorta ao verdadeeiro amigo. Outra questão da adaptação: no livro lemos Rony dizendo: “Estaremos lá, Harry.”
    Mas vamos deixar esse assunto de lado. Há temas mais enriquecedores. Esse tópico da exclusão do Rony só foi um aquecimento…
    Bom, Hagrid poderia ter sido mais explorado, concorda?

    1. Caramba, Bruna. Tô com medo de falar alguma coisa. Você manja MUITO de Harry Potter.. hahahahaha

      Bom, discordo. Acho o Hagrid um pé no saco e fiquei feliz que deram um corte nele.

      #prontofalei

      #tocommedoagora

      #aijesuis

      #brunanãomemate

      #hahahahahaha

  11. Ora, argumentei bem não foi? Ha,ha.
    Hagrid é um personagem muito rico, mas acho que não combinaria com esse clima mais adulto do filme.
    Comensais da Morte: boa atuação?
    Ah, e prometo não escrever com tanta ênfase.

    1. Argumentou muitíssimo bem. Parabéns novamente.

      Mas fiquei com medo.. hahahaha

      Comensais da Morte: incríveis! Amo a Helena Bonham Carter (Belatriz), amo o Alan Rickman (Snape). Só não curti muito o Greyback. Achei pouco ameaçador.

  12. Eu sei que to fugindo um pouco da discussão acima, mais queria entrar em outro assunto ja tratando a história inteira.
    Eu nunca li livros do HP só vi os filmes e notei uma coisa, provavelmente no final harry vai vencer o valdemort… isso é fato. Agora o que não consigo compreender é como, Harry potter é um bruxo fracote, não estuda só quer saber de quadriboll e de escutar conversa dos outros pelos cantos, acho que ele tem muito mais fama doque realmente é… e num contexto real, acho impossivel que ele vencesse nem em mil encarnações o Valdemort. É só comparar os dois quando eram pequenos, o vald sempre foi mais forte, e sempre estudou e treinou mais que harry… mais enfim, alguem tem uma teoria pro Lord das trevas não deixar que matem o harry?… eu estava pensando acho que o harry tem um horcrux do vald… isso ia fazer muito sentido pelo fato de harry ainda estar vivo vcs não acham?

    1. Guigood, não sou nenhum especialista em Harry Potter. Talvez alguém que seja, possa te explicar melhor.

      Mas você tem um argumento interessante. E é legal ter a opinião de alguém que não leu os livros, apenas viu os filmes.

      Aliás, recomendo que os leia.

      Alguém aí pode esclarecer as coisas para o Guigood?

  13. O engraçado é que o nome deste filme é o Enigma do Princípe sendo que só teve duas referências no filme todo. Alem do fato de ter excluido totalmente a batalha no castelo.

  14. Helena Boham Carter nasceu para ser Belatriz Belastrange, Alan Rickmam prima pela sobriedade, plausível a sua personagem e eu também considerei Greyback pouco aterrorizante.
    Tom Felton teve uma atuação excepcional, não?
    Ah, já que leu a Trilogia O Senhor dos Anéis, não acha que Dumbledore foi inspirado em Gandhanf?

    1. Oi Bruna. Desculpe a demora. Hoje o dia está MUITO corrido.. rs

      Dumbledore não é somente inspirado em Gandalf como em todos os outros sábios bruxos da história da mitologia.

      Não acha?

  15. Voltando pra discussão:

    Bruna, é tão inspirado que cogitaram o Ian McKellen pra atuar como Dumbledore.
    Mas nos personagens do livro eu vejo diferenças bem grandes entre eles.
    Primeiro que o Gandalf é um “não humano”, uma criatura boa que escolheu uma forma humana como maneira de enfrentar o mal.

    O Dumbledore é um gênio, mas ele lida com sentimentos e erros bem mais humanos (isso fica bem claro no último livro). Ele pode passar pro Harry uma “vivência” em relação ao seus sentimentos que o Gandalf nunca pôde passar pro Frodo.

    E essa é a diferença até no desfechos das duas histórias (se você não quer ler spoiler, pule para o próximo parágrafo): ao final Dumbledore deixa que o Harry faça suas próprias descobertas, mas de alguma maneira o protegeu bem mais. Já o Frodo, mesmo tendo destruindo o Um Anel, fica tão marcado pelo sofrimento ao longo de sua “missão” que jamais volta a ser quem era antes dela.

    Como também o Harry é inspirado no Frodo – dois órfãos, sem nenhuma habilidade especial, que são escolhidos ‘pelo destino’ para lutarem contra o mal. Observe que tanto o Frodo preferia nunca ter que deixar o Condado, quanto o Harry preferia ser um garoto absolutamente normal vivendo com seus pais.

    E aí é o que entra o que o Guigood questionou, o que faz nossos “heróis” adoráveis, é que eles não tentam ser heróis, eles não buscam a aventura.
    Eles não merecem mais que ninguém a vitória, muito menos o “direito de lutar”. Mas isso acaba se tornando responsabilidade deles por simples acaso. Em relação ao porque do Harry vencer o Voldemort (e do Frodo destruir Sauron), muito tem a ver com a trajetória.

    Eles não eram especiais, mas se tornaram, mediante o sofrimento da jornada. Além disso, sua fraqueza faz com que eles não sejam devidamente percebidos pelo inimigo (o Harry, não tinha porque sobreviver ao ataque de Voldemort quando criança, nem um hobbit teria poder para invadir Mordor e destruir o Um Anel).

    Ambos também não lutaram “sozinhos” contra o mal. Eles tiveram apoio de pessoas, muitas vezes mais fortes, mais corajosas, mais heróicas que eles, que permitiram que fosse possível a vitória, porque “enfraqueceram” as várias forças do mal.

    Por último, voltando às semelhanças. A destruição das Horcruxes como maneira de destruir o mal, a idéia de “transmitir” sua vida para objetos reais não lembra muito os Anéis do Poder de Sauron?

    (Ufa, mais um testamento / comentário)

  16. J.K. Rowling leu J.R.R. Tolkien em sua formação como escritora, penso em meus devaneios. O que seria do mundo sem ele?

    O mesmo se repete em Crepúsculo: muitos não notam mais Bram Stoker(autor de Drácula) parece ter influenciado muito Sthepenie Meyer( sua obra é um crime literário)

    Concordo: Harry Potter definitivamente sofre muitas influências de O Senhor dos Anéis e a série de livros e filmes supera em muito a história do bruxo órfão.

    Acabei em ler em um site de resenhas-como esse, que, cá entre nós é muito bom- a opinião de um crítico renomado. Ele sintetiza de forma simples Harry Potter e o Enigma do Príncipe: ” A gente dá algumas risadas com o Rony e depois espera Dumbledore e o protagonista atuarem bem”
    Fim!

    Que bela linha de pensamento!

  17. massa demais HP numka li mas axu ke vo começar desde a Pedra Filosofal rsrs o foda e ke adoro joga MMORPG Hero online
    BR e nao kero para pra ler mas vo ver o ke vou fazer e desculpe o meu nome ai vo tentar ler brigado ai gostei do ponto de vista de todos e Senhor Dos Aneis e lixão
    pronto falei.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s