Resenha: Fúria de Titãs

Se ser cafona é uma arte, então Fúria de Titãs é uma obra-prima. A refilmagem do delicioso filme de 1981, não faz questão alguma de ser sofisticada. Ela gosta mesmo é de ser brega, de abusar de elementos kitsch e seu sonho é ser classificada não como aventura ou ação, mas como filme B. E isso é ótimo!

Culpa do diretor Louis Leterrier, rapaz esperto que sabe como fazer boas porcarias – é dele Carga Explosiva 1 e 2, e O Incrível Hulk. Assim como nesses três filmes, Fúria de Titãs tem um fiapo de roteiro, atuações lamentáveis e sequências de ação de tirar o fôlego. E a gente precisa de mais o quê, me diz?!

Precisa de uma trama em que deuses putinhos e muito fodões tocam o terror na humanidade em troca de mais devoção. Precisa de um herói sem carisma, interpretado pelo onipresente Sam Worthington. Precisa de planos grandiosos, que mostram nosso grupo de heróis andando sobre montanhas ao som de Enya (ops, filme errado). Precisa de vilões deliciosamente canastrões, que não escondem o quanto estão se divertindo em cena (Ralph Fiennes é um gênio).

Fúria de Titãs tem tudo isso e efeitos especiais arrebatadores (exceto a Medusa, que apesar de bem-feita é claramente digital). A sacada visual para representar o Olimpo é genial e as armaduras que os deuses usam, banhadas por uma luz cintilante, só reforçam o charme cafona da produção.

Já o 3D é um desastre. Feita às pressas depois do sucesso de Avatar, a conversão do filme em três dimensões mais atrapalha do que acrescenta qualquer atributo à produção. Enfim, é um horror. Assista à cópia tradicional, em 2D.

Dito isso, Fúria de Titãs é divertidíssimo e imperdível. O melhor do filme é que, diferentemente de produções épicas como 300 e O Senhor dos Anéis, ele não se leva a sério (e recomendo que você o assista com isso em mente). Afinal de contas, já temos muitos blockbusters cabeçudos e refinados de caras como Christopher Nolan, Spielberg, J.J Abrams e Peter Jackson.

O mundo precisa de mais Louis Leterrier e suas porcarias.

Nota: 7,0

Fúria de Titãs chega aos cinemas em 21 de maio. RELEASE THE KRAKEN!

3 comentários

    1. Pois é. O problema é que o povo leva as coisas muito a sério.

      Eu também entrei no cinema achando que o filme seria péssimo e quando eu vi, estava me divertindo muito.

      Veja, sim.

      Depois me conte o que achou.

      Abraço!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s