A Viagem de Chihiro

Anime-se

Se você bateu o olho no “Assisti Ontem” da última semana, deve ter percebido que assisti a alguns Animes (aqueles desenhos animados japoneses).

Acontece que nunca tive o interesse por este tipo de animação. Não por preconceito, nem nada; apenas preferia as ocidentais (leia Disney/Pixar).

A Viagem de Chihiro

Bom, isso até eu ver A Viagem de Chihiro, obra-prima vencedora do Oscar® de melhor animação em 2003. Sem exagero, foi como despertar para e em um mundo novo, um lugar onde a criatividade brota em cada fala, em cada cor, em cada delicioso personagem. Entusiasmado com o filme de Hayao Miyazaki, não resisti e me deixei levar por outras obras do gênero, tão geniais quanto Chihiro.

Por isso, meus caros, esse post traz dicas de DVD e também um alerta: não faça como eu, não perca tempo e entre no mundo dos animes agora, já, imediatamente!

Clique no pôster para ver o trailer (menos no Sr. Miyaza!).

Akira

A Viagem de Chihiro

O Castelo Animado

Tekkonkinkreet

SteamboyHayao Miyazaki

Vi até agora e recomendo: Akira (1988) é o anime que influenciou muita coisa no cinema (e é, para mim, tão perturbador quanto 2001: Uma Odisséia no Espaço); A Viagem de Chihiro (2001) é lindo demais e traz uma história que capta, como nenhuma outra, os encantos e angústias da infância; O Castelo Animado (2004) tem uma trama repleta de fantasia e talvez seja o meu preferido de todos; Tekkonkinkreet (2006), assim como Akira, usa a cidade como pano de fundo para uma história sobre violência e, sobretudo, amizade. Não é um filme fácil, mas seu roteiro é mais poderoso que um Pokémon nível 100; Steamboy (2004) é a produção mais grandiosa de todas (dizem ser a animação japonesa mais cara da história) e também a mais “pé no chão”: nada de bichinos falantes ou garotos voadores nesta história sobre ganância, poder e máquinas.

E em janeiro chegará aos cinemas brasileiros a nova obra de Miyazaki, Ponyo.

Estarei na sessão de estreia. E você?

;-)

p.s: post dedicado à Eli, a “culpada” por esta minha nova paixão.