Avatar

Achei!

Quando saí do cinema após da sessão de Avatar pensei: “caramba, tinha um desenho que assistia (e adorava) quando criança que era igual a esse filme. Mas qual era mesmo o nome dele?”.

FernGully. Esse era o nome, meus caros.

A sorte do dia também me fez encontrar o trailer dessa animação que, sim, é idêntica ao Avatar – com a única diferença dela ter sido lançada em 1992, viu James Cameron?!

Se você nunca assistiu, recomendo muitíssimo. Vivia passando na Sessão da Tarde. Infelizmente ela nunca foi lançada em DVD por aqui (apenas nos EUA, em uma edição dupla caprichada). O jeito é importá-la ou alugar o VHS em qualquer locadora de bairro.

Anúncios

Resumão das Férias

Aproveitei as férias pra colocar um pouco do cinema em dia. Abaixo, um apanhado dos filmes que vi.

James Cameron é mesmo um desgraçado. Avatar pode não ser toooda aquela revolução que os marqueteiros prometiam, mas o filme é divertido bagarai e é isso o que importa. Sim, o visual é de cair o queixo, mas ainda acho que o filme vai envelhecer mais rápido que o frame de um filme de Michael Bay. De qualquer forma, a história é muito bem contada e as cenas de ação em 3D são de arrepiar. Enfim, uma porcaria divertidíssima, como só James Cameron sabe fazer.

Nota: 9,5

 

A primeira princesa negra da Disney passa metade do filme como um sapo (perereca?). Se não bastasse isso, ela nem é uma princesa de verdade. Ah, e ela é pobre, sofrida e trabalhadora. Tirando essas forçadas sociais, A Princesa e o Sapo tem uma história gostosinha, personagens engraçadinhos e números musicais bonitinhos. Está longe de ter o primor de clássicos como A Pequena Sereia, Alladin e – o mestre – O Rei Leão. Mas diverte e é agradável aos olhos.

Nota: 8,0

 

Encontro de Casais é um desperdício. Filme bobão que só não é mais entediante graças à Vince Vaughn e Jon Favreau, as melhores coisas da comédia. Ok, alguns casais podem até se identificar com as cenas de terapia ou os conflitos enfrentados pelas duplas em cena, mas o filme não tem ritmo e a maioria das piadas não funcionam. Boa pedida pra ver em casa, à tarde, e tirar um cochilo sem medo.

Nota: 5,0

 

Ervas Daninhas é uma coisa muito louca. Fui assistir sem saber picas do que se tratava. Filme francês de um diretor famosinho aí (Alain Resnais, de Medos Privados em Lugares Públicos), bem cotado pela revista Bravo! e outros. Me arrisquei num programa mais cult e olha, até que foi divertido. Quando não se sabe seu contexto, o filme soa estranho demais. Mas no fim, acaba sendo uma experiência interessante. Lotado de referências cafonas de outros gêneros cinematográficos, Ervas Daninhas deve ter algum objetivo maior, que eu não saquei. Ou não, é apenas mais um filme que não deve ser levado a sério. Nota: 6,5

Avatar – Pôster Final

Pôster bonitão, bem feito, que cumpre seu papel. Mas não entendo porquê eles insistem em usar as famigeradas  “cabeças voadoras”. Cara, isso é muito anos 90.

Enfim… a Fox pegou tão pesado na divulgação, que eu já enjoei do filme sem nem tê-lo visto.

Mas dia 18 está aí. Teremos cópias em 3D e IMAX 3D devidamente legendadas, pela primeira vez no país (eu acho).

Apesar de tudo, sinto que teremos uma porcaria divertidíssima.

In James Cameron we trust!