Christopher Nolan

Inception – Teaser Trailer

Christopher Nolan, o cara que fez um dos melhores filmes de 2008, O Cavaleiro das Trevas,  volta ano que vem com um thriller de ficção científica sobre a mente e seu poder – ou qualquer coisa parecida, já que nada sobre a trama ainda foi revelado.

Eu achei a prévia ESPETACULAR!

Inception se chamará A Origem no Brasil e deve estrear em 16 de julho de 2010, dia do meu aniversário (que presentão!).

DVD: Fauno, mágicos e Sarah Marshall

Tudo para te dar aquela força na hora de escolher um bom filme na locadora.

pans_labyrinth_ver10O Labirinto do Fauno (2006). Esperava mais desta premiada obra do Guillermo del Toro. Claro, o filme é muito bem produzido e dirigido, a trama é inteligente e as atuações são competentes. Só tenho elogios. Mas por alguma razão, quando subiram os créditos bateu um certo desapontamento. Certamente as ótimas críticas e os prêmios que a produção recebeu em seu lançamento, me fizeram querer mais. Expectativa é mesmo uma merda! Nota: 8,0


prestige_xlgO Grande Truque (2006). Está aqui um filme que, quando acabou, me perguntei: “por que diabos eu não o assisti antes?”. Filmaço, filmaço, fil-ma-ço! Sou fã do Christopher Nolan desde Amnésia, depois do retorno do Homem-Morcego, então…  Aqui, assim como em seus outros filmes (exceto Insônia), além de diretor, ele também mostra seu trabalho como roteirista. Ou seja, Nolan sabe como construir uma boa trama tanto atrás das câmeras, quanto atrás de uma máquina de escrever (nos enganemos que os roteiristas ainda usam a falecida). Tudo na produção é impecável: fotografia, direção de arte, figurino…tudo. E assim, como num passe de mágica, o filme entra na minha lista de favoritos. Nota: 9,5


forgetting_sarah_marshall_ver3_xlgRessaca de Amor (2008). Primeiro filme de Nicholas Stoller como diretor (ele escreveu duas comédias do Jim Carrey, As Loucuras de Dick e Jane e Sim Senhor) e produzido por Judd Apatow, Ressaca de Amor é mediano. Tem boas sacadas, dá pra dar umas risadas, mas fica longe de um O Virgem de 40 Anos, por exemplo. Mesmo Jason Segel segurarando bem o filme como protagonista (ele também é o roteirista), quem rouba a maioria das cenas são os coadjuvantes da trupe de Apatow: Jonah HillPaul Rudd. São deles as piadas mais inteligentes e engraçadas. Filme legalzinho, bom para ver sem compromisso  num sábado à tarde, com os amigos ou a namorada (só não assista com os pais na sala, porque tem sacanagem à beça ;-).  Nota: 7,0