Donnie Darko

Se a Internet nomeasse os filmes

Brokeback Mountain, por exemplo, seria algo mais direto, sem viadagem.

Gaaay

A Paixão de Cristo. O que Jesus diria no MSN?! Be Right Back (BRB), claro.

BRB

Meninos Não Choram ganhou mesmo um nome muito coxinha. Precisava de algo mais à altura da personagem. Nada melhor do que Tetinhas ou Cai Fora (Tits or Get The Fuck Out).

Tits or GTFO

Na boa, ninguém entendeu porra nenhuma de Donnie Darko. Mesmo assim o filme virou cult. What The Fuck!? (Que Porra é Essa!?)

WTF

Titanic ainda é o maior filme da história. Tudo graças a um acidente que ninguém poderia imaginar que aconteceria. Pois é. Passeiozinho de barco #FAIL

Fail

Fonte: College Humor.

DVD: Escândalo, intimidade e vergonha

notes_on_a_scandal

Notas Sobre um Escândalo (2006). Professora tem segundas intenções com outra professora que está se enroscando com um aluno de 15 anos. A trama cheia de polêmicas é um prato cheio para Judi Dench e Cate Blanchett entregarem excelentes atuações. Difícil dizer quem está melhor. Apesar disso, quem rouba mesmo a cena é a inspirada trilha sonora. Grande filme. Nota: 8,5

 

little_children

Pecados Íntimos (2006). Fico com raiva de mim mesmo quando descubro um filme que deveria ter visto há tempos. E esta produção do diretor Todd Field (Entre Quatro Paredes) é simplesmente um dos melhores filmes que já vi. A direção e o comprometimento dos atores são de uma sensibilidade espantosa. E, o que na superfície parece uma história simples, revela-se num drama complexo, sobre pessoas tentando se ajustar em uma sociedade hipócrita e cheia de falso moralismo. Uma obra-prima em todos os sentidos. Nota: 9,5

southland_tales

Southland Tales – O Fim do Mundo (2006). Insuportável o último filme do diretor Richard Kelly (do cult instantâneo Donnie Darko). Tudo no filme gera uma vergonha alheia, a começar pelo elenco encabeçado por Dwayne “The Rock” Johnson, Justin Timberlake (sim, o músico), Sarah Michelle Gellar e Seann William Scott (o Stifler de American Pie). A proposta do filme é ser uma sátira de diversos assuntos: política, fama, economia, displicência ambiental etc. Mas tudo é tão equivocado, que nem o domínio técnico de Kelly salva a produção de ser terrivelmente…péssima. Para se ter ideia do quão ruim ele é, há uma cena em que Justin dubla, todo ensanguentado, All These Things That I´ve Done, da banda The Killers. Assista abaixo e sinta vergonha por todos os envolvidos. Nota: 2,5