Esmir Filho

Resenha: Os Famosos e os Duendes da Morte

Dá uma invejinha pensar que o diretor Esmir Filho tem só 27 anos. Porra, são 4 curtos anos que separam o meu nascimento ao dele e o cara já fez um dos mais poderosos e premiados filmes nacionais. Maldito!

E, apesar de gostar muito do nosso cinema, não consigo lembrar outra obra que tenha me emocionado tanto como Os Famosos e os Duendes da Morte (Lavoura Arcaica, talvez). Um pessoal tem comparado o trabalho do Esmir aos filmes de Gus Van Sant. Acho justo.

Assim como no magnífico Elefante e no ótimo Paranoid Park, Os Famosos é repleto de silêncios e sutilezas que fisgam o coração e fazem a garganta se contorcer toda. E isso, claro, não é só culpa da beleza dos enquadramentos e da fotografia (um apuro visual inédito no cinema nacional); é culpa da sensibilidade de um diretor – com um ótimo texto em mãos – em fazer a gente relembrar os momentos mais solitários da nossa adolescência de maneira tão delicada. A tristeza das pessoas na cidade onde o filme acontece e a frieza das relações estabelecidas entre elas.. seriam desesperadoras se Esmir não as tivesse transformado em poesia.

Os Famosos e os Duendes da Morte é mais que um filme, é uma experiência sensorial fantástica. Um filme que deve ser visto (e sentido e respirado e apalpado) nos cinemas.

Mas um aviso: não é um filme comercial e fácil de ver. Pra curti-lo é preciso estar a fim de um programinha mais cult.

Nota: 9,5

Os Famosos e os Duendes da Morte estreia amanhã, 02/04, em São Paulo, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

[ATUALIZADO]

Revi o filme ontem, 04/04, e fiquei com vontade de acrescentar alguns pontos à resenha.

– Percebi que, apesar de serem visualmente muito interessantes, os trechos “câmera na mão”, que remetem à menina morta, se tornaram extremamente cansativos nesta segunda assistida. No começo da projeção, quando todos na sala não sabem do que se trata o filme, senti que eles passam uma impressão errada de filme de terror; uma coisa Bruxa de Blair tupiniquim. Além disso, Esmir se empolga um pouco nessa proposta vídeo-arte, alongando muito algumas cenas, como o sonho do garoto, as visões da menina na ponte e por aí vai. Entendo a intenção dele, mas dessa vez me cansou.

– A trama da garota é, sem dúvidas, o elo mais fraco do filme. Esmir poderia ter gastado menos esforços nele para se concentrar na relação do garoto com a mãe, que é a alma da produção. A cena final, por exemplo, do abraço emocionado entre os dois, é de uma beleza absurda.

– E como pude não citar o trabalho da atriz Áurea Baptista, que faz a mãe do “Mr. Tambourine Man” (o ótimo Henrique Larré)? Em cena, essa mulher entrega uma das melhores atuações já vistas no cinema nacional. Seu olhar carrega uma sinceridade e um sofrimento que impressionam, tamanha a naturalidade. Pra mim, essa mãe existe de verdade.

Anúncios

Os Famosos e os Duendes da Morte – Pôster

Bonito pôster do primeiro longa-metragem de Esmir Filho, um dos diretores do Tapa Na Pantera, curta que virou hit na Internet.

Os Famosos e os Duendes da Morte_Poster

Os Famosos e os Duendes da Morte terá sessões nos Festivais do RJ e de SP. Em tempo: sua estreia oficial deve passar de novembro para fevereiro. Mas nada confirmado ainda.

Os Famosos e os Duendes da Morte

Teaser trailer internacional do filme.

Arte.

Os Famosos e os Duendes da Morte vai passar pelos Festivais do RJ e de SP e estreia oficialmente em 06 de novembro.

[ATUALIZADO]

Acabo de descobri que, na verdade, o vídeo acima faz parte de uma coletânea criada para divulgação do filme internacionalmente, graças à sua participação no Festvial de Locarno (Suíça). Você pode ver os outros vídeos aqui, aqui, aqui e aqui. Vale a pena!

Os Famosos e os Duendes da Morte – Vídeos

Lembra do Tapa Na Pantera? Aquele vídeo da senhora maconheira que virou (odeio esse termo) hit na Internet?

Pois em 06 de novembro chegará aos cinemas o primeiro longa de Esmir Filho, um dos diretores do Tapa (para os íntimos).

Antes disso porém, já é possível encontrar uns virais/teasers que o jovem diretor espalhou por aí. Duvido que você entenda alguma coisa, mas, antes de assisti-los, leia a sinopse para ajudar.

Os Famosos e os Duendes da Morte é baseado no livro homônimo de Ismael Caneppele, contará a história de uma cidade em que cada um sonha em segredo. O menino sem nome conhece a garota sem pernas, que lhe mostra um mundo no qual ele embarca como alguém que nunca mais deseja voltar à realidade. Para o menino, a vida virtual é a única verdade. Mas a garota parte para outro mundo, deixando imortalizada sua história em vídeos e fotos na web. A partida da única pessoa da cidade com quem ele se identifica deixa o menino ainda mais sozinho. Guiado pela música de Bob Dylan, ele mergulha em suas lembranças até que o surgimento de uma figura misteriosa desencadeia uma série de acontecimentos em sua vida até então previsível.

Os Famosos e os Duendes da Morte participará da mostra competitiva do 62º Festival Internacional de Locarno (Suíça), que acontece entre 5 e 15 de agosto e também deve dar as caras nos Festivais do RJ e de SP este ano.

Ainda espero falar bastante sobre a produção por aqui.

Fique de olho!