Harry Potter e as Relíqueas da Morte

Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1

Eu não ia escrever sobre a Parte 1 do novo Harry Potter. Mas não resisti.

Bom, pra começar esta não é uma resenha. Não sei o que é (e não importa, né?).

Assisti ao filme na quinta-feira, na pré-estreia feita pela Warner e curti muito. Mas é certo que tem gente que não vai gostar.

Igual à Isabela Boscov, da Veja (não leio a revista, mas por um acaso, li a crítica do filme na edição desta semana), que se decepcionou com a produção.

É justo. E até faz sentido para quem analisa o filme apenas como filme, e não como adaptação cinematográfica de uma obra literária. Eu li o livro em seu lançamento, nem lembrava os detalhes da trama direito.

Enfim, questionar a opção do estúdio em dividir a história em duas partes é correto. Caberia tudo num filme, sim. Mas a decisão foi acertada – mais para os fãs, menos para o espectador comum. Isso porque a primeira parte da conclusão da saga pode parecer sem ritmo, arrastada, com cenas contemplativas e longas. Sim, mas é exatamente o que acontece no livro. Harry e seus dois amigos ficam muito tempo longe de casa (e da escola), se escondendo, fugindo, incertos do futuro que está logo ali. Sendo assim, tudo ótimo o filme respeitar isso, certo?!

E o filme é escuro (sujo, até), maduro, de gente grande, feito com muito respeito aos fãs. É por isso que agora eu peço um minuto de silêncio aos fãs de Crepúsculo, que ganharam filmes capengas, feitos sem nenhum amor à saga adaptada (a qual, ainda que de qualidade questionável, merecia filmes no mínimo decentes).

SILÊNCIO.

SILÊNCIO.

SILÊNCIO.

Pronto. Chega.

Se você ainda não viu Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1, vá sabendo que é um Harry Potter diferente, melhor, mais adulto e menos frenético.

Aguardemos a Parte 2, esta sim deverá deixar de lado o blá-blá-blá e pesar a mão nas batalhas, efeitos, varinhas, vassouras e toda a farofa que o povo gosta (e nós também!).

Holy Junk na pré-estreia de HP7 – Parte 1, com presença de Matthew Lewis (o Neville).