Kate Winslet

DVD: Verão, Férias e Surpresa

Um Verão Para Toda VidaUm Verão Para Toda a Vida (2007). Primeiro filme que vejo com Daniel Radcliffe que não Harry Potter. E a produção é bem regular. Uma pena, já que tinha potencial graças à boa premissa (garotos órfãs que saem de férias, numa pegada Conta Comigo) e à ótima fotografia. O grande problema é que o diretor não soube tirar proveito das toneladas de clichês fornecidas pelo roteiro. Ah, e Harry Potter fuma. Garotinho mal.

Nota:6,0

O Amor Não Tira FériasO Amor Não Tira Férias (2006). Não tinha como dar errado: Kate Winslet, Jack Black, Jude Law e Cameron Diaz em um mesmo filme. Apesar de ser mais longo do que o necessário, O Amor Não Tira Férias é a pedida perfeita para aqueles que curtem uma comédia-romântica. Está longe de ser clássico como Um Lugar Chamado Nottin Hill, mas tem ótimos personagens e um roteiro amarradinho, ainda que previsível. E é sempre uma delícia ver a Kate sofrendo de amor e o Jack Black no papel de Jack Black.

Nota: 8,0

HairsprayHairspray (2007). Musical é o gênero máximo quando o assunto é “ame ou odeie”. Eu gosto muito e Hairspray foi uma das melhores surpresas que encontrei em home video este ano. Acredite, o filme é surpreendentemente bom, com ótima direção e um elenco afiadíssimo (destaque para a novata Nikki Blonsky, que faz a simpática protagonista). Sem contar a trilha sonora, que emplaca um hit grudento atrás do outro. O curioso foi perceber que, enquanto via o filme, eu não consegui parar sorrir. Isso é entretenimento. E se você tem preconceito com o gênero, sugiro que tente exterminá-lo conferindo ótimos exemplares como Moulin Rouge, Chicago, Across The Universe e este espetacular Hairspray. Nota: 9,0

Anúncios

DVD: Escândalo, intimidade e vergonha

notes_on_a_scandal

Notas Sobre um Escândalo (2006). Professora tem segundas intenções com outra professora que está se enroscando com um aluno de 15 anos. A trama cheia de polêmicas é um prato cheio para Judi Dench e Cate Blanchett entregarem excelentes atuações. Difícil dizer quem está melhor. Apesar disso, quem rouba mesmo a cena é a inspirada trilha sonora. Grande filme. Nota: 8,5

 

little_children

Pecados Íntimos (2006). Fico com raiva de mim mesmo quando descubro um filme que deveria ter visto há tempos. E esta produção do diretor Todd Field (Entre Quatro Paredes) é simplesmente um dos melhores filmes que já vi. A direção e o comprometimento dos atores são de uma sensibilidade espantosa. E, o que na superfície parece uma história simples, revela-se num drama complexo, sobre pessoas tentando se ajustar em uma sociedade hipócrita e cheia de falso moralismo. Uma obra-prima em todos os sentidos. Nota: 9,5

southland_tales

Southland Tales – O Fim do Mundo (2006). Insuportável o último filme do diretor Richard Kelly (do cult instantâneo Donnie Darko). Tudo no filme gera uma vergonha alheia, a começar pelo elenco encabeçado por Dwayne “The Rock” Johnson, Justin Timberlake (sim, o músico), Sarah Michelle Gellar e Seann William Scott (o Stifler de American Pie). A proposta do filme é ser uma sátira de diversos assuntos: política, fama, economia, displicência ambiental etc. Mas tudo é tão equivocado, que nem o domínio técnico de Kelly salva a produção de ser terrivelmente…péssima. Para se ter ideia do quão ruim ele é, há uma cena em que Justin dubla, todo ensanguentado, All These Things That I´ve Done, da banda The Killers. Assista abaixo e sinta vergonha por todos os envolvidos. Nota: 2,5

Oscar® 2009 – Vencedores

Oscars2009_posterRS.jpgAnd the Oscar® goes to… Quem Quer Ser Um Milionário?.

O filme do também premiado diretor Danny Boyle levou nada menos que 8 estatuetas. Enquanto O Curioso Caso de Benjamin Button, campeão em indicações (13), ganhou apenas 3: Efeitos Visuais, Maquiagem e Direção de Arte.

Como previsto, Kate Winslet (que estava linda demais) levou para casa seu merecido carequinha e Heath Ledger marcou história como o segundo ator a receber o prêmio póstumo. Muito merecido. Já Penélope Cruz enganou todo mundo direitinho e conquistou sua estatueta (pra mim, ela continua uma farsa).

O melhor momento, em uma cerimônia previsível, foi a agradável vitória de Sean Penn como Melhor Ator. Mickey Rourke até merecia, mas acredito que a Academia optou por premiar menos “atuação” e mais “carreira”. O que faz certo sentido, já que a excelência de Rourke é muito pontual frente à toda obra de Penn.

No geral, foi a melhor festa dos últimos tempos. Hugh Jackman mandou bem demais como apresentador; o roteiro nunca esteve tão afiado; e a edição dos clipes estava ao estilo MTV Movie Awards. Os anúncios de atuação deram um show à parte. Ficou muito mais emocionante e envolvente 5 ex-premiados entregarem a estatueta ao novo vencedor.

Confira a lista dos ganhadores:

Melhor Filme
O Curioso Caso de Benjamin Button 
Quem Quer Ser Um Milionário?
O Leitor
Milk – A Voz da Igualdade
Frost/Nixon

Melhor Diretor
David Fincher, O Curioso Caso de Benjamin Button
Danny Boyle, Quem Quer Ser Um Milionário?
Gus Van Sant, Milk
Ron Howard, Frost/Nixon
Stephen Daldry, O Leitor

Melhor Ator
Richard Jenkins, Visitor
Franklin Jella, Frost/Nixon
Sean Penn, Milk – A Voz Da Igualdade
Brad Pitt, O Curioso Caso de Benjamin Button
Mickey Rourke, O Lutador

Melhor Ator Coadjuvante
Josh Brolin, Milk
Philip Seymour Hoffman, Dúvida
Heath Ledger, Batman – O Cavaleiro das Trevas
Robert Downey Jr., Tropic Thunder
Michael Shannon, Foi Apenas um Sonho

Melhor Atriz
Anne Hathaway, O Casamento de Rachel
Angeline Jolie, A Troca
Meryl Streep, Dúvida
Kate Winslet, O Leitor
Melissa Leo, Frozen River

Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams, Dúvida
Penélope Cruz,Vicky Cristina Barcelona
Viola Davis, Dúvida
Taraji P. Henson, O Curioso Caso de Benjamin Button
Marisa Tomei, O Lutador

Melhor Roteiro Original
Dustin Lance Black, Milk – A Voz Da Igualdade
Courtney HuntFrozen River
Mike Leigh, Happy-Go-Lucky
Marttin McDonagh, Na Mira do Chefe
Andrew Stanton e Jim Reardon, Wall-E

Melhor Roteiro Adaptado
Simon Beaufoy, Quem Quer Ser Um Milionário?
David Hare, O Leitor
Peter Morgan, Frost/Nixon
John Patrick Shanley, Dúvida
Eric Roth e Robin Swicord, O Curioso Caso de Benjamin Button

Melhor Animação
Bolt
Kung Fu Panda
Wall-E

Melhor Filme Estrangeiro
Der Baader Meinhof KomplexAlemanha
The ClassFrança
Departures, Japão
Revanche, Áustria
Waltz With Bashir, Israel

Melhor Documentário
The Betrayal, Ellen Kuras, Thavisouk Phrasavath
Encounters at the End of the World, Werner Herzog, Henry Kaiser
The Garden, Scott Hamilton Kennedy
Man on Wire, James Marsh, Simon Chinn
Trouble the Water, Tia Lessin, Carl Deal

Melhor Direção de Arte
O Curioso Caso de Benjamin Button, Donald Graham Burt, Victor J. Zolfo
A Troca, James J. Murakami, Gary Fettis
Foi Apenas Um Sonho, Kristi Zea, Debra Schutt
Batman – O Cavaleiro das Trevas, Nathan Crowley
A Duquesa, Michael Carlin, Rebecca Alleway

Melhor Fotografia
A Troca, Tom Stern
O Curioso Caso de Benjamin Button, Claudio Miranda
Batman – O Cavaleiro das Trevas, Wally Pfister
O Leitor, Chris Menges e Roger Deakins
Quem Quer Ser Um Milionário?, Anthony Dod Mantle

Melhor Figurino
Austrália, Catherine Martin
O Curioso Caso de Benjamin Button, Jacqueline West
A Duquesa, Michael O’Connor
Milk, Danny Glicker
Foi Apenas Um Sonho, Albert Wolsky

Melhor Edição
O Curioso Caso de Benjamin Button, Kirk Baxter e Angus Wall
Batman – O Cavaleiro das Trevas, Lee Smith
Frost/Nixon, Daniel P. Hanley e Mike Hill
Milk, Elliot Graham e Gus Van Sant
Quem Quer Ser Um Milionário?, Chris Dickens

Melhor Trilha Sonora
O Curioso Caso de Benjamin Button
Defiance
Milk
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E

Melhor Canção
Down to Earth, Wall-E 
Jai Ho, Quem Quer Ser Um Milionário?
O Saya, Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Maquiagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Hellboy 2

Melhores Efeitos Visuais
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro

Melhor Mixagem de Som
Batman – O Cavaleiro das Trevas
O Curioso Caso de Benjamin Button
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Edição de Som
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Curta Metragem
Auf der Strecke (On the Line)
Manon on the Asphalt
New Boy
The Pig

Spielzeugland, Alemanha

Melhor Curta de Animação
La Maison en Petits Cubes, Japão
Lavatory – Lovestory
Oktapodi
Presto
This Way Up

Melhor Documentário em Curta-Metragem 
The Conscience of Nhem En, Steven Okazaki
The Final Inch, Irene Taylor Brodsky, Tom Grant
Smile Pinki, Megan Mylan
The Witness – From the Balcony of Room 306, Adam Pertofsky, Margaret Hyde

Resenha: O Leitor

o-leitor

Lembro-me perfeitamente de quando assisti As Horas no cinema, em 2003. Saí da sessão devastado, mas com um sorriso de “puta-que-filme-bom” no rosto. Fiquei impressionado com a beleza do roteiro e com a habilidade do diretor Stephen Daldry em amarrar, de forma tão brilhante, a história daquelas mulheres.

Talvez, por essa razão, fica tão difícil falar sobre O Leitor

O filme é ótimo, mas não me emocionou tanto quanto as duas primeiras obras do diretor (adoro Billy Elliot). Não por falta de talento de Daldry. Pelo contrário, o cineasta três vezes indicado ao Oscar® de Melhor Diretor, esbanja sensibilidade e segurança na condução da trama e dos atores.

Kate Winslet, aliás, deve mesmo levar seu primeiro careca dourado. Sua Hanna Schmitz é misteriosa, fria, orgulhosa e ignorante. Uma atuação impecável, repleta de expressões minimalistas de uma grande atriz. Performance realmente superior à sua April, de Foi Apenas Um Sonho.

O que me incomodou em O Leitor, acredito, é o fato de ele ser, na realidade, dois filmes. O primeiro e belíssimo, mostra a relação amorosa entre uma mulher solitária e um garoto de apenas 15 anos. A ligação dos dois é, a princípio, carnal e nada afetiva (a cena da banheira, em que ele pergunta se ela o ama, é de esmagar o coração). Nesse momento o filme brilha, nos mostrando uma relação sincera, entre sexo e leituras, e as consequências geradas por ela, como o isolamento social do garoto.

Já o segundo filme, ou melhor, a segunda parte, é quando ela desaparece sem dizer adeus. Daqui pra frente, O Leitor vira um competente filme de tribunal. Competente, sim, mas menos brilhante do que seu início.

Concluindo, O Leitor é um belo filme e merece ser visto. Temos uma Kate Winslet nada menos que espetacular e uma história bem contada e comovente. Mesmo assim, não o considero a melhor obra do diretor Stephen Daldry – e isso não é uma coisa ruim.

Nota: 8,5

Resenha: Foi Apenas Um Sonho

revolutionary_road_xlg2

O novo trabalho do diretor Sam Mendes não me surpreendeu, mas também não me decepcionou. Eu diria que a produção é um Beleza Americana menor,  mas ainda assim um bom filme. 

O destaque, claro, são as atuações do casal Titanic, Leonardo DiCaprio e Kate Winslet. Difícil dizer quem está melhor. Os dois comovem, os dois brilham. Quando dividem cena com o excepcional Michael Shannon (indicado ao Oscar® de Melhor Ator Coadjuvante pelo papel), a tela pega fogo e somos brindados com o melhor do filme. 

A trama, adaptação da obra de Richard Yates, segue de perto o relacionamento do casal, desde o primeiro encontro até sua mudança para a Revolutionary Road, num subúrbio de Nova York em plena década de 50. April (Winslet) fica em casa cuidando dos filhos, enquanto Frank (DiCaprio) vai todo dia para o trabalho que odeia. A rotina segue bem até o momento em que os dois decidem morar em Paris. 

Jack e Rose..ops..April e FrankNão espere uma linda história de amor. O filme é denso, com diálogos pesados e cenas bem dramáticas. Fato: você vai sair do cinema mais triste do que entrou. 

Foi Apenas Um Sonho está longe de ser brilhante. Mas é competente e comovente. Gostei. 

Nota: 7,5