Matadores de Velhinha

DVD: Clássico, Críticos e Shakespeare

Cinema ParadisoCinema Paradiso (1988). Sabe aquele filme que, durante sua vida inteira, todo mundo falou para você ver, mas sempre rolou uma preguiça? Pois bem, este é Cinema Paradiso. Apesar de lamentar não o ter visto antes, sinto que o assisti no momento certo. O filme me marcou muito. Fiquei realmente comovido com a linda história de amizade entre um garotinho (que é simplesmente idêntico a mim quando criança) e o projecionista de um cinema. O único porém é que vi a versão estendida do filme, e não estava preparado para suas quase 3h de duração. Ainda, uma obra-prima. Indiscutivelmente. Nota: 9,5

Matadores de VelhinhaMatadores de Velhinha (2004). Tinha deixado esse filme de lado graças às críticas ruins que recebeu em seu lançamento. Mas ele só ajudou a reforçar o que eu já sabia: nunca acredite 100% na opinião de um crítico. Bom, como não sou crítico, pode levar minha opinião menos a sério ainda. Ok ok, sobre o filme: gostei bastante, mas certamente não é o melhor dos irmãos Coen (que fizeram Fargo e Onde Os Fracos Não Têm Vez). A comédia tem deliciosos personagens bizarros (como o asiático que esconde o cigarro aceso na boca) e uma direção de arte muito interessante, quase cartunesca. O Holy Junk recomenda. Acredite, ou não. Nota: 8,0

Perdendo a NoçãoPerdendo a Noção (2008). Por algum motivo, esta comédia fez um barulhinho nos EUA. Sim, por algum motivo que não consegui entender. A premissa é muito boa (um professor de teatro que escreve uma continuação nonsense para Hamlet, de Shakespeare), mas a comédia simplesmente não decola. Fica, perdão pelo termo, punhetando o tempo todo e, quando acaba, a gente fala “é isso?”. Enfim, algumas piadas funcionam, principalmente as que tiram sarro com filmes de “professores inspiradores”, como Sociedade dos Poetas Mortos. O resto, é um desperdício. Nota: 6,0