O Fantástico Sr. Raposo

A Lista Sagrada de 2010

Este blog está igual a vilão de filme de terror: parece que morreu, mas sempre volta. E volta devagar, sem pressa.

2011, quem sabe, volta com tudo. Mas como promessas são para os fracos, vamos ao primeiro post do ano: minha lista com as melhores porcarias de 2010 – e outras coisas.

1. Toy Story 3

Primeiro filme em 3D que me fez chorar. Só por isso, já merece o topo.

2. As Melhores Coisas do Mundo

Ser adolescente é foda (por bem ou por mal). E esse filme sabe disso.

3. Scott Pilgrim Contra o Mundo

Amor platônico + videogame = filme mais cool do ano.

4. A Mentira

Melhor filme de high school desde… sei lá, não lembro.

5. Ilha do Medo

A continuação não autorizada de A Origem. Aqui, Leo surta ao saber que está preso em um sonho com uma pessoa sem expressão: Mark Ruffalo.

6. A Rede Social

O cara do Zumbilândia salvou o mundo dos zumbis pra depois dominá-lo com o Facebook. Vale um “Like”.

7. A Origem

O filme ruim que ninguém entendeu, mas todo mundo ama. Claro, ele reúne o Jack do Titanic, a Juno, o carinha do 500 Dias Com Ela e o pai do Austin Powers. Como não amar esse filme?

8. Kick-Ass

Quando o Nicolas Cage faz uma porcaria que presta, ela merece entrar na lista sagrada na hora. É quase como presenciar um milagre, só que mais divertido.

9. Como Treinar Seu Dragão

A prova de que a Dreamworks está aprendendo com a Pixar.

10. Tron: O Legado

Nenhum filme traduziu melhor o termo “holy junk” este ano do que Tron Legacy. Acompanhe comigo: os caras entram no computador, usam roupas descoladas, jogam frisbee, têm festinhas privadas com o Daft Punk e ainda ganham uma mobilete irada. Tudo em 3D!!!

 

MELHORES FILMES DE 2010 QUE ESTARIAM NA LISTA SE O BLOG NÃO FOSSE SOBRE BLOCKBUSTERS, MAS ELE É E DEVEMOS TODOS DORMIR TRANQUILOS COM ISSO.

Io sono l’amore (I am Love)

Filme italiano, feito à moda antiga, sem firulas, com um belo roteiro e uma atuação monstruosa de Tilda Swinton. Vai contra a filosofia das porcarias, mas é foda!

L’épine dans le coeur (The Thorn in the Heart)

Documentário sensível, com uma narrativa que vai sendo construída à medida que o cineasta consegue extrair de sua tia (uma personagem deliciosa) conflitos familiares guardados há anos. Prova de que o Gondry é mais que artimanhas visuais. Agora, que venha o Besouro Verde. :P

Os Famosos e os Duendes da Morte

O filme brasileiro que o Brasil estava esperando. Aquela história de cinema de autor, sabe? Então.

MELHOR FILME VISTO EM 2010, MAS LANÇADO EM 2009

O Fantástico Sr. Raposo

Obra-prima suprema do Wes Anderson. Tipo de filme pra ver todo ano com a família, sem cansar.

 

MELHOR FILME LANÇADO EM 2010, MAS VISTO EM 2009

Onde Vivem os Monstros

Entrou na lista sagrada de 2009, mas é o filme-xodó do blog e o segundo melhor filme que conheço. Portanto, vai entrar em todas as listas até eu cansar. ;)

Em breve, a lista com as piores porcarias de 2010.

Anúncios

Estreias – 04 de dezembro/09

Wes Anderson, meu queridão, volta em O Fantástico Sr. Raposo, filme que a crítica gringa tem falado ser seu melhor. Eu ainda duvido de que algo possa ser melhor que Os Excêntricos Tenenbaums. Veremos…

Atividade Paranormal é o filme-fenômeno do ano. Custou $ 15 mil e já rendeu mais que $ 100 milhões. Só o trailer já me deu um puta cagaço. Não vejo nem que me pagem (bom, talvez).

Almodóvar está de volta em Abraços Partidos, estrelado por sua musa Penélope Cruz.

E pra fechar, temos o brazuca premiado no Festival de Brasília, É Proibido Fumar, novo da Anna Muylaert (Durval Discos).

Só filmaço hoje, hein?!

Clique no pôster do filme para ver seu trailer.

O Fantástico Sr. Raposo – Pôster (é hoje!)

Quando falei no post das estreias de que esta sexta-feira era a melhor do ano até agora, eu não fazia ideia de que ainda teríamos um pôster novo para Onde Vivem os Monstros e o primeiro para O Fantástico Sr. Raposo.

Sério, o que aconteceu hoje?! Os planetas se alinharam em favor das porcarias sagradas?! Será que é hoje que a Scarlett Johansson vai se apaixonar por mim?! Será que é hoje que eu fico rico?! Será? Será?

Ah, e o pôster não poderia ser mais… hm… Wes Anderson.

O Fantastico Sr. Raposo_Poster

=D

O Fantástico Sr. Raposo – Bastidores

Impressionante o featurette que a Apple divulgou sobre o novo filme do (grande) Wes Anderson.

Narrado pelo ator Jason Schwartzman, o vídeo mostra como é difícil produzir uma animação em stop-motion e ainda o trabalho que os atores tiveram para deixar a ‘interpretação’ dos personagens mais verossímil.

O Fantástico Sr. Raposo estreia em 4 de dezembro no Brasil. Mal posso esperar. =D

O Fantástico Sr. Anderson

Wes AndersonHá tempos que quero fazer um post sobre o diretor Wes Anderson, um dos meus favoritos. Agora, com seu próximo filme a caminho, O Fantástico Sr. Raposo, chegou a hora.

Descrobri Wes Anderson ainda garoto, quando me enfiei às cegas numa sala de cinema para ver Os Excêntricos Tenenbaums com a “galera”. Fiquei deslumbrado com o filme, meus amigos odiaram. Achei diferente de tudo o que tinha visto; uma obra que misturava comédia com drama em uma “embalagem” ao mesmo tempo que sensível, distante e fria.

Depois, à medida que um novo filme do diretor era lançado, mais tinha certeza que me tornara em um fã do cara. Dono de uma personalidade visual única, que carrega, em característicos planos, movimentos de câmera e enquadramentos, uma plasticidade que colabora em muito no entendimento das personagens em cena, W. Anderson também já foi acusado por muitos de fazer sempre o mesmo filme.

Eu discordo, apesar de saber que, sim, visual e narrativamente todos os filme se parecem, além de possuírem quase o mesmo elenco. Mas cada um traz sempre algo novo e muito, muito interessante.

Vamos a eles:

Bottle RocketBottle Rocket (1996). Dois anos depois de realizar um curta de mesmo nome, Wes estreia na tela grande ao lado de seus fiéis amigos e colaboradores, os irmãos Owen e Luke Wilson. Com o filme, o diretor começa a esboçar o que viria a ser seus traços mais autorais, principalmente no roteiro, que tem boas sacadas, mas não salva o filme de ser o mais fraco de sua filmografia.

Nota: 6,0

RushmoreTrês é Demais (1998). Nem o terrível título em português conseguiu trazer o segundo e prestigiado filme do diretor aos cinemas brasileiros. Lançado na época diretamente em VHS, Rushmore (seu título original) também ainda não encontrou sua distribuição em DVD no nosso país. Lamentável, já que o filme é brilhante em muitos sentidos: o roteiro é lotado de situações e personagens engraçadíssimas; o embate entre Jason Schwartzman e Bill Muray é impagável e a direção se mostra madura ao mesmo tempo que experimental. O Wes Anderson que conhecemos hoje nasceu aqui. Nota: 9,5

Os Excêntricos Tenenbaums Os Excêntricos Tenenbaums (2001). O barulho causado por Rushmore deve ter pesado nos ombros de Wes e o fez ir além, ao criar um filme maior em tudo: mais personagens, mais situações bizarras e mais conflitos familiares. No caso, maior foi sinônimo de melhor. Sim, a terceira produção do cineasta é também a minha favorita. Pô, um filme que tem Gene Hackman como um pai porra louca e inconsequente é, no mínimo, genial. O roteiro, riquíssimo por sinal, teve a colaboração de Owen Wilson, que também ajudou a escrever os dois anteriores. Nota: 10,0

A Vida Marinha Com Steve ZissouA Vida Marinha Com Steve Zissou (2004). O céu é mesmo o limite para W. Anderson, porque até o mar ele já explorou – e levou um brasileiro junto. Em uma produção ambiciosa, com grandes cenários feitos em estúdio e sequências em animação stop-motion, o cineasta escreveu, ao lado do amigo Noah Baumbach (que escreveu e dirigiu o espetacular A Lula e a Baleia), uma sátira sobre os documentários aquáticos de Jacques Cousteau. Aliás, este é o que considero o  filme com humor mais acessível do diretor. E a trilha do Seu Jorge cantando David Bowie é, sei lá, de outro mundo. Nota: 8,0

Viagem a DarjeelingViagem a Darjeeling (2007). Do mar para a Índia, Wes volta a usar a família, agora como ponto de partida para um delicioso road movie sobre trilhos. O destaque da produção não é o elenco e nem o roteiro (que teve colaboração de Roman Coppola e do ator Jason Schwartzman), mas sim da incrível fotografia que explora o máximo das cores e texturas dos figurinos e locações. Vale lembrar, claro, do  ótimo curta Hotel Chevalier, que antecipou as cópias do filme e trouxe uma Natalie Portman muito confortável. Ai ai.

Nota: 8,5

Por estas razões, Wes Anderson tornou-se um dos meus diretores favoritos. Um cineasta que, como poucos,  consegue preservar sua personalidade e tom autoral a cada novo projeto.

E o que dizer de O Fantástico Sr. Raposo, adaptação da obra de Roald Dahl (A Fantástica Fábrica de Chocolate), feito todo em stop-motion e com vozes de George Clooney, Meryl Streep, Bill Murray e toda a gangue de Anderson?

Confira o trailer e fique ansioso por conta própria.

O Fantástico Sr. Raposo estreia em 4 de dezembro no Brasil.