Onde Vivem os Monstros

A Lista Sagrada de 2010

Este blog está igual a vilão de filme de terror: parece que morreu, mas sempre volta. E volta devagar, sem pressa.

2011, quem sabe, volta com tudo. Mas como promessas são para os fracos, vamos ao primeiro post do ano: minha lista com as melhores porcarias de 2010 – e outras coisas.

1. Toy Story 3

Primeiro filme em 3D que me fez chorar. Só por isso, já merece o topo.

2. As Melhores Coisas do Mundo

Ser adolescente é foda (por bem ou por mal). E esse filme sabe disso.

3. Scott Pilgrim Contra o Mundo

Amor platônico + videogame = filme mais cool do ano.

4. A Mentira

Melhor filme de high school desde… sei lá, não lembro.

5. Ilha do Medo

A continuação não autorizada de A Origem. Aqui, Leo surta ao saber que está preso em um sonho com uma pessoa sem expressão: Mark Ruffalo.

6. A Rede Social

O cara do Zumbilândia salvou o mundo dos zumbis pra depois dominá-lo com o Facebook. Vale um “Like”.

7. A Origem

O filme ruim que ninguém entendeu, mas todo mundo ama. Claro, ele reúne o Jack do Titanic, a Juno, o carinha do 500 Dias Com Ela e o pai do Austin Powers. Como não amar esse filme?

8. Kick-Ass

Quando o Nicolas Cage faz uma porcaria que presta, ela merece entrar na lista sagrada na hora. É quase como presenciar um milagre, só que mais divertido.

9. Como Treinar Seu Dragão

A prova de que a Dreamworks está aprendendo com a Pixar.

10. Tron: O Legado

Nenhum filme traduziu melhor o termo “holy junk” este ano do que Tron Legacy. Acompanhe comigo: os caras entram no computador, usam roupas descoladas, jogam frisbee, têm festinhas privadas com o Daft Punk e ainda ganham uma mobilete irada. Tudo em 3D!!!

 

MELHORES FILMES DE 2010 QUE ESTARIAM NA LISTA SE O BLOG NÃO FOSSE SOBRE BLOCKBUSTERS, MAS ELE É E DEVEMOS TODOS DORMIR TRANQUILOS COM ISSO.

Io sono l’amore (I am Love)

Filme italiano, feito à moda antiga, sem firulas, com um belo roteiro e uma atuação monstruosa de Tilda Swinton. Vai contra a filosofia das porcarias, mas é foda!

L’épine dans le coeur (The Thorn in the Heart)

Documentário sensível, com uma narrativa que vai sendo construída à medida que o cineasta consegue extrair de sua tia (uma personagem deliciosa) conflitos familiares guardados há anos. Prova de que o Gondry é mais que artimanhas visuais. Agora, que venha o Besouro Verde. :P

Os Famosos e os Duendes da Morte

O filme brasileiro que o Brasil estava esperando. Aquela história de cinema de autor, sabe? Então.

MELHOR FILME VISTO EM 2010, MAS LANÇADO EM 2009

O Fantástico Sr. Raposo

Obra-prima suprema do Wes Anderson. Tipo de filme pra ver todo ano com a família, sem cansar.

 

MELHOR FILME LANÇADO EM 2010, MAS VISTO EM 2009

Onde Vivem os Monstros

Entrou na lista sagrada de 2009, mas é o filme-xodó do blog e o segundo melhor filme que conheço. Portanto, vai entrar em todas as listas até eu cansar. ;)

Em breve, a lista com as piores porcarias de 2010.

Prédios e Vampiros – ou, o retorno do Holy Junk

O Holy Junk não morreu.

E aqui está a prova de que ele pode voltar a qualquer momento: um curta incrível, belíssimo, fantástico e sensacional em homenagem a Onde Vivem os Monstros, filme que cansei de falar por aqui, mas que ainda não fiz a resenha que merece.

Finalmente alguém teve a brilhante ideia de traduzir a história que Max conta aos pés de sua mãe, em uma cena do filme de Spike Jonze. Uma cena que, apesar de curtinha,  já introduz toda a criatividade do garoto em criar personagens interessantes em situações de conflito.

Apenas assista.

Não só a técnica de animação é fabulosa, como o cuidado na escolha da locação e do material dos “personagens”, que só contribuem para manter o clima de história infantil.

O filme é dirigido por Sebastian Baptista & Nico Casavecchia, um uruguaio e um argentino.

E essa dica preciosa veio do grande Helio.

Onde Vivem os Monstros – Anúncios

Estou achando que serei obrigado a criar um blog exclusivo para Onde Vivem os Monstros. Já assisti ao filme duas vezes, estou considerando uma terceira ida ao cinema, e mesmo assim não consigo perder o encanto nem entender a fascinação que a produção de Spike Jonze causa em minha pessoa. Algo que nunca senti por nenhum outro filme…

Abaixo, os anúncios criados para “vendê-lo” aos votantes da Academia e a outras premiações.

Uma imagem mais linda que a outra.

Como prometido, em breve escreverei uma resenha completaça, detalhando todos os fatores que fazem dele um filme grandioso. Enquanto isso, fique com minha Pré-resenha.  ;-)

E quem ainda não viu o filme, corra! Ele estreou em pouquíssimas salas e não deve ficar em cartaz por muito tempo.

Pré-Resenha: Onde Vivem os Monstros

Como você bem sabe, Onde Vivem os Monstros (‘Where The Wild Things Are’, 2009) era o filme pelo qual eu estava mais ansioso para assistir este ano. Infelizmente, ele teve sua estreia adiada no Brasil para janeiro (antes dia 1º; agora dia 15). Felizmente, tive a chance de assisti-lo em uma cabine exclusiva na Warner ontem, 26 de outubro.

Peraí, mas por que no título do post está escrito “pré-resenha”?!

Simples: porque é impossível tirar claras (e concretas) conclusões do filme tendo o assistido apenas uma vez. Seria até injusto da minha parte citar sequências, apontar recursos de linguagem ou julgar com detalhes aspectos do roteiro. O filme é tão rico, que fica difícil absorver tudo com uma única assistida.

Por isso, o que escrevo a seguir são primeiras impressões, palavras rápidas sobre o novo trabalho de Spike Jonze; ou seja, uma quase-resenha (e espero que ela sirva para acalmar os nervos de quem está tão ansioso pelo filme como eu estava).

Onde Vivem os Monstros_Wallpaper

Engana-se quem pensa, pelos lindos trailers e pôsteres (ou até mesmo pelo livro adaptado, obra de Maurice Sendak), que Onde Vivem os Monstros é uma produção fofinha com bichinhos legais e crianças se divertindo.

Um aviso, meus caros: Onde Vivem os Monstros não é um filme fácil. É belíssimo, divertido e emocionante, sim. Mas sua complexidade vai muito além destes adjetivos.

A genialidade de Spike Jonze é tanta, que ele conseguiu criar, a partir de um livro infantil, uma produção densa, repleta de camadas que exigem uma cuidadosa reflexão. Arrisco a dizer – e espero não estar indo longe demais – que Onde Vivem os Monstros é uma espécie de Blade Runner dessa geração: um filme difícil, que não agradará a todos, mas que no futuro será descoberto, ganhará status de cult e se tornará objeto de estudo e análise sobre relacionamentos, estrutura familiar e outros tantos temas que dizem respeito à infância e seus conflitos.

Caray. Nunca imaginei que escreveria este tipo de coisa sobre esse filme. Mas é o que é.

Em breves palavras, a produção é impecável: o visual dos monstros causa estranhamento, rompe com o que estamos familiarizados e, por isso, os torna fascinantes. O garoto Max é um paradoxo; a incrível atuação de Max Records (sim, o nome do menino-ator também é Max) nos desperta inúmeros e conflitantes sentimentos. A trilha sonora de Karen O and the Kids é fantástica e cai como uma luva em cada cena do filme. As locações, a fotografia, a direção de arte… tudo é muito foda. Tanto a sequência inicial, quanto a final são de uma genialidade absurda, e me deixam comovido só de lembrar.

O ritmo do filme, no entanto, é bastante lento e arrastado. Não vá esperando grandes reviravoltas ou quebras inesperadas na narrativa. Estamos lidando com arte aqui, é preciso estar no clima para aproveitar ao máximo da experiência criada pelo cineasta.

Ainda assim, Onde Vivem os Monstros é a obra-prima definitiva de Spike Jonze. Um filme subversivo, impactante, belíssimo e que ficará com você por um bom tempo (acredite, cada vez que paro e penso sobre ele, encontro novos significados).

Mas ainda tenho muito a falar. Em janeiro, próximo à estreia do filme, prometo que farei uma resenha completaça, explicando em detalhes porque este é um dos melhores filmes que eu já vi, e as razões que podem torná-lo em um dos filmes mais cultuados do cinema moderno.

Ah, e a nota não poderia ser mais previsível: 10.

Let the wild rumpus start!

Onde Vivem os Monstros – Curta e Trilha

The Vampire Attack.

Curta que Spike Jonze fez junto com Max Records durante as gravações de Onde Vivem os Monstros.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Complexo, não?

[ATUALIZADO]

Fantástico making of da trilha sonora do filme mais cool do século.

Chega logo janeiro, chega.

O melhor é a cara riscada do Jonze (como se alguém tivesse feito aquilo enquanto ele dormia. rs).

Onde Vivem os Monstros – Spots Tv

Primeiros comerciais para o filme do qual não me canso de falar (e espero que você não se canse de ler).

Com tom mais fun e infantil que os trailers, os vídeos devem acertar em cheio os pais e convencê-los a levar seus filhos ao cinema. Bom, se eu tivesse um filho, o levaria.  =D

Na trilha, sai Arcade Fire e entra Karen O, da Yeah Yeah Yeahs (banda que, se tudo der certo, deve vir para o Festival Planeta Terra, em SP. Dedos cruzados).

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.