Ridley Scott

Robin Hood – Trailer

Pra mim, Ridley Scott perdeu a mão há muito tempo (sim, eu acho Gladiador um dos filmes mais chatos das últimas décadas).

Ainda assim, preciso confessar que gostei muito do trailer de Robin Hood, filme que, cá entre nós, é um tanto desnecessário, mas conta com um elenco respeitável (Russell Crowe, Cate Blanchett, William Hurt e outros).

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

O filme estreia por aqui em 14 de maio.

DVD: Zumbis, Musicais e Parasitas

RECREC (2007). Filme de zumbi espanhol, que virou fenômeno no mundo por trazer uma ótima e bem executada ideia: uma repórter e sua equipe ficam presos em um prédio contaminado pelo “vírus do morto-vivo”. Assim como no genial A Bruxa de Blair, a câmera na mão, a pouca luz e a ausência de trilha, são escolhas que fazem sentido à trama e contribuem à narrativa. Filmão para quem curte o gênero – e dá um puta cagaço, prepare-se! A continuação estreia no Brasil em 19 de fevereiro. Nota: 8,0

 

Amor Sublime Amor_PosterAmor Sublime Amor (1961). Só a sequência inicial, a batalha entre os Jets e os Sharks nas ruas de NY, em que as duas gangues demarcam seu território com uma coreografia exuberante (e até engraçada), já justifica porquê o filme é considerado o musical dos musicais. Adaptação cantante e dançante de “Romeo e Julieta”, o vencedor de 10 Oscar® é, de fato, uma obra-prima: tem canções muito bem escritas (e que não envelheceram) e trabalhos de direção de arte e fotografia espetaculares. Só mesmo o assistindo para entender sua importância e influência. Nota: 9,0

 

AlienAlien – O 8º Passageiro (1979). Até domingo eu nunca tinha visto nenhum filme da série Alien. Decidi fazer o correto e começar pelo começo. E que prazeroso foi ver o filme de Ridley Scott que é, sem dúvida, um marco do cinema pipoca: o clima claustrofóbico, a não exposição do parasita, o conflito psicológico entre os tripulantes da nave, são os pontos altos da produção, assim como seu visual arrebatador. E pensar que três anos depois Ridley Scott entregaria Blade Runner ao mundo. Bons tempos de um cineasta que fez Gladiador (bleh!) e Rede de Mentiras (argh!). Nota: 9,0