Sean Penn

Resenha: Milk – A Voz da Igualdade

MilkSe existe um diretor que me leva ao cinema, mesmo sem eu saber do que se trata o filme, é Gus Van Sant. Ao lado de PT Anderson, David Fincher, Michel Gondry, Spike Jonze e Wes Anderson, o cara é um dos meus diretores favoritos. 

Lembro-me claramente, por exemplo, de quando assisti à obra-prima Elefante. Foi em meados de 2005, no DVD, em casa, linda tarde, sol entrando pela janela e fazendo reflexo na televisão. Fiquei anestesiado minutos após o final do filme. Não sabia muito bem o que tinha acabado de ver. Precisava de um tempo para pensar. 

Depois veio Últimos Dias. Um filme pesado, lento, arrastado e desinteressante (como devem ter sido os últimos dias de Kurt Kobain). A técnica e o domínio visual de Van Sant sempre presentes, firmes e fortes. Em 2007, Paranoid Park encerrou brilhantemente o que seria uma trilogia sobre adolescentes, solidão, busca por um sentido de existir, aceitar e ser aceito. Bela narrativa, belos enquadramentos, ótima trilha sonora. 

E então, chegamos a Milk – A Voz da Igualdade. Relembrando os tempos de Gênio Indomável, Van Sant deixa de lado os jovens problemáticos e revisita – com moderação – o convencional. Afinal, não só estamos falando de uma história real, como também de um filme sobre política. Sim, por mais camadas que a produção tenha, o seu cerne está na vida política de Harvey Milk, primeiro homossexual assumido a ser eleito para um cargo público nos EUA e que foi assassinado em 1978 (é, ele morre no final e todo mundo sabe disso). 

Com um ator talentoso como Sean Penn e um diretor que possui total domínio sobre sua técnica, o filme é capaz de surpreender mesmo quando se sabe qual será seu final (assim como em Elefante). 

Em cena, Sean Penn desaparece. O que vemos ali é Harvey Milk em carne e osso, com suas carências, ambições e inseguranças. A interpretação de Penn é formidável, superando, inclusive, outros trabalhos inspirados do ator (como o deficiente mental de Uma Lição de Amor). Ainda sobre o elenco, todos os coadjuvantes estão excelentes, com destaque para James Franco e Emile Hirsch. 

Em um olhar mais cuidadoso sobre a direção, posso dizer que esse é o trabalho mais completo de Van Sant. Ele dosa com muita sabedoria a ousadia visual que lhe é inerente, com a proposta de um filme mais convencional, pensando no grande público (afinal, a ideia é que a mensagem de Harvey Milk ecoe para um número sem fim de pessoas). O uso de cenas reais, documentadas na época e nas locações retratadas no filme, é um dos trunfos da produção, que, apesar dos elogios, tem seus problemas, como quando o roteiro se perde em diálogos desnecessários e Van Sant entrega um final meloso demais. 

Milk – A Voz da Igualdade é, em essência, igual a seu protagonista: ousado em espírito, recatado quando necessário, político, com valores atemporais e com uma mensagem importante a passar.

Nota: 8,5

Anúncios

Oscar® 2009 – Vencedores

Oscars2009_posterRS.jpgAnd the Oscar® goes to… Quem Quer Ser Um Milionário?.

O filme do também premiado diretor Danny Boyle levou nada menos que 8 estatuetas. Enquanto O Curioso Caso de Benjamin Button, campeão em indicações (13), ganhou apenas 3: Efeitos Visuais, Maquiagem e Direção de Arte.

Como previsto, Kate Winslet (que estava linda demais) levou para casa seu merecido carequinha e Heath Ledger marcou história como o segundo ator a receber o prêmio póstumo. Muito merecido. Já Penélope Cruz enganou todo mundo direitinho e conquistou sua estatueta (pra mim, ela continua uma farsa).

O melhor momento, em uma cerimônia previsível, foi a agradável vitória de Sean Penn como Melhor Ator. Mickey Rourke até merecia, mas acredito que a Academia optou por premiar menos “atuação” e mais “carreira”. O que faz certo sentido, já que a excelência de Rourke é muito pontual frente à toda obra de Penn.

No geral, foi a melhor festa dos últimos tempos. Hugh Jackman mandou bem demais como apresentador; o roteiro nunca esteve tão afiado; e a edição dos clipes estava ao estilo MTV Movie Awards. Os anúncios de atuação deram um show à parte. Ficou muito mais emocionante e envolvente 5 ex-premiados entregarem a estatueta ao novo vencedor.

Confira a lista dos ganhadores:

Melhor Filme
O Curioso Caso de Benjamin Button 
Quem Quer Ser Um Milionário?
O Leitor
Milk – A Voz da Igualdade
Frost/Nixon

Melhor Diretor
David Fincher, O Curioso Caso de Benjamin Button
Danny Boyle, Quem Quer Ser Um Milionário?
Gus Van Sant, Milk
Ron Howard, Frost/Nixon
Stephen Daldry, O Leitor

Melhor Ator
Richard Jenkins, Visitor
Franklin Jella, Frost/Nixon
Sean Penn, Milk – A Voz Da Igualdade
Brad Pitt, O Curioso Caso de Benjamin Button
Mickey Rourke, O Lutador

Melhor Ator Coadjuvante
Josh Brolin, Milk
Philip Seymour Hoffman, Dúvida
Heath Ledger, Batman – O Cavaleiro das Trevas
Robert Downey Jr., Tropic Thunder
Michael Shannon, Foi Apenas um Sonho

Melhor Atriz
Anne Hathaway, O Casamento de Rachel
Angeline Jolie, A Troca
Meryl Streep, Dúvida
Kate Winslet, O Leitor
Melissa Leo, Frozen River

Melhor Atriz Coadjuvante
Amy Adams, Dúvida
Penélope Cruz,Vicky Cristina Barcelona
Viola Davis, Dúvida
Taraji P. Henson, O Curioso Caso de Benjamin Button
Marisa Tomei, O Lutador

Melhor Roteiro Original
Dustin Lance Black, Milk – A Voz Da Igualdade
Courtney HuntFrozen River
Mike Leigh, Happy-Go-Lucky
Marttin McDonagh, Na Mira do Chefe
Andrew Stanton e Jim Reardon, Wall-E

Melhor Roteiro Adaptado
Simon Beaufoy, Quem Quer Ser Um Milionário?
David Hare, O Leitor
Peter Morgan, Frost/Nixon
John Patrick Shanley, Dúvida
Eric Roth e Robin Swicord, O Curioso Caso de Benjamin Button

Melhor Animação
Bolt
Kung Fu Panda
Wall-E

Melhor Filme Estrangeiro
Der Baader Meinhof KomplexAlemanha
The ClassFrança
Departures, Japão
Revanche, Áustria
Waltz With Bashir, Israel

Melhor Documentário
The Betrayal, Ellen Kuras, Thavisouk Phrasavath
Encounters at the End of the World, Werner Herzog, Henry Kaiser
The Garden, Scott Hamilton Kennedy
Man on Wire, James Marsh, Simon Chinn
Trouble the Water, Tia Lessin, Carl Deal

Melhor Direção de Arte
O Curioso Caso de Benjamin Button, Donald Graham Burt, Victor J. Zolfo
A Troca, James J. Murakami, Gary Fettis
Foi Apenas Um Sonho, Kristi Zea, Debra Schutt
Batman – O Cavaleiro das Trevas, Nathan Crowley
A Duquesa, Michael Carlin, Rebecca Alleway

Melhor Fotografia
A Troca, Tom Stern
O Curioso Caso de Benjamin Button, Claudio Miranda
Batman – O Cavaleiro das Trevas, Wally Pfister
O Leitor, Chris Menges e Roger Deakins
Quem Quer Ser Um Milionário?, Anthony Dod Mantle

Melhor Figurino
Austrália, Catherine Martin
O Curioso Caso de Benjamin Button, Jacqueline West
A Duquesa, Michael O’Connor
Milk, Danny Glicker
Foi Apenas Um Sonho, Albert Wolsky

Melhor Edição
O Curioso Caso de Benjamin Button, Kirk Baxter e Angus Wall
Batman – O Cavaleiro das Trevas, Lee Smith
Frost/Nixon, Daniel P. Hanley e Mike Hill
Milk, Elliot Graham e Gus Van Sant
Quem Quer Ser Um Milionário?, Chris Dickens

Melhor Trilha Sonora
O Curioso Caso de Benjamin Button
Defiance
Milk
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E

Melhor Canção
Down to Earth, Wall-E 
Jai Ho, Quem Quer Ser Um Milionário?
O Saya, Quem Quer Ser Um Milionário?

Melhor Maquiagem
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Hellboy 2

Melhores Efeitos Visuais
O Curioso Caso de Benjamin Button
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro

Melhor Mixagem de Som
Batman – O Cavaleiro das Trevas
O Curioso Caso de Benjamin Button
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Edição de Som
Batman – O Cavaleiro das Trevas
Homem de Ferro
Quem Quer Ser Um Milionário?
Wall-E
O Procurado

Melhor Curta Metragem
Auf der Strecke (On the Line)
Manon on the Asphalt
New Boy
The Pig

Spielzeugland, Alemanha

Melhor Curta de Animação
La Maison en Petits Cubes, Japão
Lavatory – Lovestory
Oktapodi
Presto
This Way Up

Melhor Documentário em Curta-Metragem 
The Conscience of Nhem En, Steven Okazaki
The Final Inch, Irene Taylor Brodsky, Tom Grant
Smile Pinki, Megan Mylan
The Witness – From the Balcony of Room 306, Adam Pertofsky, Margaret Hyde