Transformers

Resenha: Transformers – A Vingança dos Derrotados

Ontem, assisti ao filme junto com o Doda, um amigo redator que admiro muito. Cheguei em casa após a sessão e pensei: seria foda se ele escrevesse uma resenha para o blog. Pois hoje lancei o convite e a resposta dele você lê depois da Megan. Quanta honra.

A Vingança de Megan Fox

O diretor Michael Bay não inaugurou, mas levou à perfeição um estilo de filme que alcançou o grande público com os clássicos de ação dos anos 80: a história em que ninguém percebe se o roteiro existe ou se ele foi substituído por uma mariola.

Nessa escola cinematográfica, tudo o que você precisa saber antes de comprar o seu ingresso é o orçamento da produção, pois o exercício não é esperar uma boa história que de repente faça com que você reveja conceitos de vida e saia pela rua recolhendo cães abandonados. O negócio mesmo é procurar entender na tela se a cifra foi bem investida ou se o diretor torrou tudo em lanche na padaria.

No caso de Transformers – A Vingança dos Derrotados (orçamento de 200 milhões de Obamas), um milagre foi operado. Pois ao contrário das obras públicas brasileiras, a impressão que se tem é de que pelo menos o dobro do declarado foi gasto em nome de duas horas e tantas de entretenimento pesadíssimo, cru e sem frescura como só americanos são capazes de realizar.

Entre as atuações a destacar temos Megan Fox, a mulher mais gostosa do mundo, mas que como atriz fica previsivelmente abaixo da classificação péssima (e isso é ótimo para o filme, pois ninguém imagina Meryl Streep ameaçando fritar o olho de um carro de controle remoto alienígena); John Turturro, o eterno bom coadjuvante que coloca no bolso mais da metade do elenco (e ainda faz a voz do absurdo transformer Jetfire) e o bundão Shia LaBeouf novamente interpretando o bundão Shia LaBeouf.

Mas é claro que tirando Megan, ninguém vai ao cinema esperando ver gente de carne (e que carne) e osso, as estrelas de verdade são os robôs e a destruição gratuita que protagonizam. E essa é a boa notícia. Como nesse segundo filme não precisamos mais perder tempo apresentando personagens ou contextualizando a patacoada toda, o pau come do primeiro ao último minuto e Bay só não estropiou a outra metade do planeta porque algo precisava ficar de pé para os próximos filmes.

Entre os autobots, os robozinhos do bem, Optimus Prime e Bumblebee fizeram aulas intensivas de capoeira e kung-fu desde o filme anterior e agora bailam na tela com a leveza de zagueiros argentinos jogando tênis. Os gêmeos “niggas” também são outra grande tiração de sarro do filme, sem falar no já citado Jetfire. Pelo outro lado, Megatron e o bonde dos malvadinhos não decepcionam e trazem ao seu lado um colossal par de colhões (é sério, ou melhor, não é).

Se vale o ingresso? Cada centavo. É o melhor investimento de tempo em uma perda de tempo que você pode fazer nesse 2009 até agora.

Nota: 8,0

por Edoardo “Doda” Vilhena

Pisando em filmes

Como os americanos adoram consumir porcarias. É incrível. Basta um filme estrear, que dezenas de produtos licenciados são lançados: bonecos, jogos, CDs, DVDs, canecas, eletrônicos e outros gadgets. Agora, tênis eu nunca tinha visto.

Mas o que pra mim é novidade, para os gringos parece ser bem comum. Alguns, confesso, eu até que usaria…

hellboy

Hellboy. O que estou vendo é certo? Um diferente do outro? Não usaria nem no inferno.

beetlejuice

Beetlejuice. Se eu visse na loja, não diria que é de um filme. Feio, mesmo assim.

 

do-the-right-thing

Faça a Coisa Certa. Bem final dos anos 80 mesmo. Zuado demais.

 

ferris-bueller

Curtindo a Vida Adoidado. Adoro o filme, mas usar um tênis com cadarço ‘cor-de-leopardo’, não dá. Nem mesmo numa parada em NY ao som de Twist´n´Shout.


freddy

A Hora do Pesadelo. Esse é um dos que mais gostei. Mas eu me cagava todo de medo do Freddy Krueger na infância, que não teria coragem de por isso nos pés, não. 

 

godfather

O Poderoso Chefão. Pela foto não dá pra ver o tênis direito, mas Don Vito Corleone merece o meu respeito, e não meu chulé.

 

madrugada

Madrugada dos Mortos. Esse até que é mais discreto, mas em nada lembra o filme.

oompa-loompa

A Fantástica Fábrica de Chocolate. Esse é feio de doer, igual aos Oompa Loompas.

 

quartetoQuarteto Fantástico. Normais. O do “Coisa” é o mais bacanão. Usaria fácil.


scarfaceScarface. Quem na face da Terra teve a ideia de criar isso? Melhor. Quem na face da Terra teria coragem de usar isso?

 

spider

Spider-Man. Não faz jus ao personagem. Faltou estilo. E faltou o azul do uniforme. FAIL!

 

starwars

Star Wars. Nesse caso, o lado negro da força é mais atrativo. Será que eles vêm com um sabre de luz?

 

transformers

Transformers. Até as crianças de 6 anos devem correr de medo desse tênis. Não medo dele se transformar. Mas medo de tão feio que ele é.

 

mcfly

De Volta Para o Futuro. Clássico. Esse compraria como colecionador, apenas. São idênticos aos do Marty McFly.