Wes Anderson

Estreias – 04 de dezembro/09

Wes Anderson, meu queridão, volta em O Fantástico Sr. Raposo, filme que a crítica gringa tem falado ser seu melhor. Eu ainda duvido de que algo possa ser melhor que Os Excêntricos Tenenbaums. Veremos…

Atividade Paranormal é o filme-fenômeno do ano. Custou $ 15 mil e já rendeu mais que $ 100 milhões. Só o trailer já me deu um puta cagaço. Não vejo nem que me pagem (bom, talvez).

Almodóvar está de volta em Abraços Partidos, estrelado por sua musa Penélope Cruz.

E pra fechar, temos o brazuca premiado no Festival de Brasília, É Proibido Fumar, novo da Anna Muylaert (Durval Discos).

Só filmaço hoje, hein?!

Clique no pôster do filme para ver seu trailer.

O Fantástico Sr. Raposo – Bastidores

Impressionante o featurette que a Apple divulgou sobre o novo filme do (grande) Wes Anderson.

Narrado pelo ator Jason Schwartzman, o vídeo mostra como é difícil produzir uma animação em stop-motion e ainda o trabalho que os atores tiveram para deixar a ‘interpretação’ dos personagens mais verossímil.

O Fantástico Sr. Raposo estreia em 4 de dezembro no Brasil. Mal posso esperar. =D

Noah and the Whale

noah and the whaleSemana passada fiz um superpost sobre o diretor Wes Anderson. Nele, comentei da amizade do cara com outro cineasta do qual gosto demais: Noah Baumbach.

E, passeando pela world wide web, encontrei uma banda absolutamente fenomenal: Noah and the Whale.

Mas peraí, o Holy Junk não é blog de cinema? Que diabos é este post sobre  música?

Muita calma. Se você é tão esperto como imagino, deve ter notado que a referida banda tem o cinema em seu nome: que é o casamento entre A Lula e a Baleia (The Squid and the Whale), filme preferido de seus integrantes, com o primeiro nome do diretor da obra, Noah Baumbach. Tchanam!

E mais, para o lançamento do segundo álbum, o vocalista Charlie Fink fez um filme, First Days of Spring, que será embalado por todas as faixas do CD. Foda, né?!

Veja o trailer e tente não chorar curtir a banda.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

O Fantástico Sr. Anderson

Wes AndersonHá tempos que quero fazer um post sobre o diretor Wes Anderson, um dos meus favoritos. Agora, com seu próximo filme a caminho, O Fantástico Sr. Raposo, chegou a hora.

Descrobri Wes Anderson ainda garoto, quando me enfiei às cegas numa sala de cinema para ver Os Excêntricos Tenenbaums com a “galera”. Fiquei deslumbrado com o filme, meus amigos odiaram. Achei diferente de tudo o que tinha visto; uma obra que misturava comédia com drama em uma “embalagem” ao mesmo tempo que sensível, distante e fria.

Depois, à medida que um novo filme do diretor era lançado, mais tinha certeza que me tornara em um fã do cara. Dono de uma personalidade visual única, que carrega, em característicos planos, movimentos de câmera e enquadramentos, uma plasticidade que colabora em muito no entendimento das personagens em cena, W. Anderson também já foi acusado por muitos de fazer sempre o mesmo filme.

Eu discordo, apesar de saber que, sim, visual e narrativamente todos os filme se parecem, além de possuírem quase o mesmo elenco. Mas cada um traz sempre algo novo e muito, muito interessante.

Vamos a eles:

Bottle RocketBottle Rocket (1996). Dois anos depois de realizar um curta de mesmo nome, Wes estreia na tela grande ao lado de seus fiéis amigos e colaboradores, os irmãos Owen e Luke Wilson. Com o filme, o diretor começa a esboçar o que viria a ser seus traços mais autorais, principalmente no roteiro, que tem boas sacadas, mas não salva o filme de ser o mais fraco de sua filmografia.

Nota: 6,0

RushmoreTrês é Demais (1998). Nem o terrível título em português conseguiu trazer o segundo e prestigiado filme do diretor aos cinemas brasileiros. Lançado na época diretamente em VHS, Rushmore (seu título original) também ainda não encontrou sua distribuição em DVD no nosso país. Lamentável, já que o filme é brilhante em muitos sentidos: o roteiro é lotado de situações e personagens engraçadíssimas; o embate entre Jason Schwartzman e Bill Muray é impagável e a direção se mostra madura ao mesmo tempo que experimental. O Wes Anderson que conhecemos hoje nasceu aqui. Nota: 9,5

Os Excêntricos Tenenbaums Os Excêntricos Tenenbaums (2001). O barulho causado por Rushmore deve ter pesado nos ombros de Wes e o fez ir além, ao criar um filme maior em tudo: mais personagens, mais situações bizarras e mais conflitos familiares. No caso, maior foi sinônimo de melhor. Sim, a terceira produção do cineasta é também a minha favorita. Pô, um filme que tem Gene Hackman como um pai porra louca e inconsequente é, no mínimo, genial. O roteiro, riquíssimo por sinal, teve a colaboração de Owen Wilson, que também ajudou a escrever os dois anteriores. Nota: 10,0

A Vida Marinha Com Steve ZissouA Vida Marinha Com Steve Zissou (2004). O céu é mesmo o limite para W. Anderson, porque até o mar ele já explorou – e levou um brasileiro junto. Em uma produção ambiciosa, com grandes cenários feitos em estúdio e sequências em animação stop-motion, o cineasta escreveu, ao lado do amigo Noah Baumbach (que escreveu e dirigiu o espetacular A Lula e a Baleia), uma sátira sobre os documentários aquáticos de Jacques Cousteau. Aliás, este é o que considero o  filme com humor mais acessível do diretor. E a trilha do Seu Jorge cantando David Bowie é, sei lá, de outro mundo. Nota: 8,0

Viagem a DarjeelingViagem a Darjeeling (2007). Do mar para a Índia, Wes volta a usar a família, agora como ponto de partida para um delicioso road movie sobre trilhos. O destaque da produção não é o elenco e nem o roteiro (que teve colaboração de Roman Coppola e do ator Jason Schwartzman), mas sim da incrível fotografia que explora o máximo das cores e texturas dos figurinos e locações. Vale lembrar, claro, do  ótimo curta Hotel Chevalier, que antecipou as cópias do filme e trouxe uma Natalie Portman muito confortável. Ai ai.

Nota: 8,5

Por estas razões, Wes Anderson tornou-se um dos meus diretores favoritos. Um cineasta que, como poucos,  consegue preservar sua personalidade e tom autoral a cada novo projeto.

E o que dizer de O Fantástico Sr. Raposo, adaptação da obra de Roald Dahl (A Fantástica Fábrica de Chocolate), feito todo em stop-motion e com vozes de George Clooney, Meryl Streep, Bill Murray e toda a gangue de Anderson?

Confira o trailer e fique ansioso por conta própria.

O Fantástico Sr. Raposo estreia em 4 de dezembro no Brasil.